06 / 08 / 2012 - atualizada em 6 de agosto de 2012 Londres: Arthur Zanetti conquista o 2º ouro do Brasil nas argolas  
zanetti

Primeira medalha brasileira da história da ginástica

Arthur Zanetti finalmente colocou o Brasil no mapa da ginástica artística. Com uma apresentação quase perfeita, o atleta paulista somou 15,900 pontos na final das argolas desta segunda-feira em Londres, bateu o favorito chinês Yibing Chen e conquistou o ouro, primeira medalha da história do país neste esporte em Jogos Olímpicos.

E o triunfo veio da forma mais emocionante possível. Arthur foi o último a competir na North Greenwich Arena, sede da ginástica que recebeu bom público, mas não esteve lotada. Desde o começo, tinha a pressão de superar os 15,800 do chinês, atual campeão olímpico do aparelho e grande favorito à conquista. A final ainda tinha outros grandes competidores, que faziam notas altas atrás de notas altas. Ainda assim, o brasileiro levou o ouro, deixando a prata para o chinês e o bronze para o italiano Matteo Morandi (15,733).

Antes de Arthur, os brasileiros que haviam chegado mais perto do triunfo olímpico foram Daiane dos Santos e Diego Hypolito, que falharam quando eram favoritos em 2004 e 2008, respectivamente. Agora, com o ouro nas argolas, o esporte chega a outro patamar no Brasil.

A medalha é o mais importante, mas não o primeiro grande feito da carreira de Arthur Zanetti. Paulista de São Bernardo, ele já havia conquistado a prata nas argolas no Mundial de ginástica do ano passado, quando perdeu justamente para Chen Yibing. Na época, ele já tinha o mérito de ter sido o primeiro brasileiro a conseguir um resultado desse nível nas argolas, considerado um dos aparelhos mais difíceis entre os homens.

A apresentação na final mostrou que na eliminatória o brasileiro não mostrou tudo que pôde. Arthur já havia feito 15.925 no início de junho e apostava em uma apresentação com grau de dificuldade maior para conseguir subir ao pódio. Nas eliminatórias, no entanto, foi conservador e avançou com 15.616, na quarta colocação.

uol.com

divisao

Comente

publicidade

redes sociais

publicidade

publicidade