Mais da metade dos teresinenses têm dívidas no cartão de crédito imprimir publicado em: 31 / 03 / 2017

dividaUma das facilidades que os consumidores possuem na hora de comprar é o cartão de crédito. Mas, se usado de forma excessiva, pode ser o causador de endividamento e, posteriormente, levar à inadimplência.
 
Uma pesquisa feita pela Federação do Comércio do Estado do Piauí (Fecomércio-PI) juntamente com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), realizada com 133 mil famílias teresinenses, registra os índices de endividamento e inadimplência da população na Capital.

Dados apontam que, no mês de março, 55,6% da população teresinense estava endividada com cartão de crédito, número que cresceu 0,90% em relação a fevereiro. Já o índice de inadimplência foi de 7,2% em março, enquanto que, em fevereiro, o número chegou a 7,3%.
Para 76,9% das pessoas que possuem dívidas, o cartão de crédito permanece como o principal agente, seguido de carnês (24,9%) e, em terceiro, o crédito pessoal (7,7%). Houve uma queda brusca das dívidas com cartão de crédito em relação a fevereiro, que atingiu o percentual de 80% de endividamentos.

O economista Eduardo Lima avalia que os índices de endividamento acontecem porque as pessoas têm um custo de vida que o salário não cobre. Junto a isso, existe a facilidade ao acesso de crédito disponível e uma alta necessidade de consumo que a população tem, que contribuem para a criação de dívidas.

Para o economista, o uso do cartão de crédito compromete o orçamento das pessoas, pois é um crédito facilitado que está disponível e os juros são exorbitantes. As dívidas de cartão de crédito são débitos que o consumidor contrai, porém, ainda não estão em atraso. A partir do momento em que a pessoa não tem condições de pagar, fica inadimplente e tem seu nome negativado nos órgãos de proteção de crédito.

“Geralmente, as pessoas assumem um crédito que não têm condição de pagar. Não pensam na hora de fazer a dívida, que isso é uma retirada de dinheiro de um orçamento futuro”, fala Eduardo Lima.

Segundo o economista, o parcelamento é outra fonte que causa dívidas, porém, é uma facilidade que a maioria das lojas dispõe atualmente. Ele avalia o cartão de crédito como nocivo se usado para compras corriqueiras, pois é o consumo contínuo de coisas supérfluas que endividam a população.

“A maior parte da população usa o crédito e depois tem dificuldade para pagar porque usa o crédito disponível acima do que é realmente necessário e não pensa no valor de pagamento depois”, pontua.

portalodia.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas