Mais de 150 militares são convocados para reforçar segurança em Natal imprimir publicado em: 20 / 01 / 2017

militaresCerca de 150 homens do Exército no Piauí foram deslocados para o Rio Grande do Norte, com objetivo de auxiliar os militares na garantia da ordem nas ruas de Natal após onda de ataques a ônibus, delegacias e viaturas na capital potiguar, além de rebelião que já dura sete dias na Penitenciária Alcaçuz, maior presídio do estado.

A Companhia Poti está de prontidão desde o chamado recebido na quinta-feira (19) e encerrou nesta sexta-feira (20) os preparos da munição, armamento e viaturas para a missão esta manhã. Eles aguardam a ordem para o deslocamento das 16 viaturas.

De acordo com o comandante do 25° Batalhão de Caçadores do Piauí (25º BC), tenente-coronel Francisco Nixon, o grupamento destacado para a missão foi o da Companhia Poti, composto por militares do 25° BC e por mais um pelotão do 2° Batalhão de Engenharia (2° BEC), que já tem experiência em operações especiais. Segundo Nixon, 100% do efetivo convocado compareceu ao batalhão.

“Já faz parte do adestramento desse grupo a preparação para a garantia da lei e da ordem. Eles já foram empregados em outras ocasiões no Piauí, nas eleições, por exemplo, e em outros estados. Há 30 dias estiveram em Recife atuando durante uma greve da polícia militar daquele estado”, informou.

Ainda segundo o comandante, a companhia irá atuar no patrulhamento das ruas de Natal, mas, se  preciso, após o reconhecimento da área, outras ações poderão ser desenvolvidas.

Rebeliões em presídio

O motim de presos da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, na Grande Natal, chega ao 7º dia nesta sexta-feira (20). No sábado (14), segundo o governo do estado, 26 detentos foram mortos durante um briga envolvendo membros de duas facções criminosas dentro da unidade. Nesta quinta-feira (19), houve novo confronto entre os presos. A PM diz que há mortos, mas ainda não se sabe quantos. Na manhã desta sexta será definido como vai acontecer a operação de retomada de controle do presídio.

Na quarta-feira (18), 220 presos ligados à facção Sindicato do RN foram retirados de Alcaçuz e levados para a Penitenciária Estadual de Parnamirim, de onde detentos foram retirados para serem transferidos a outras prisões.

Durante as transferências, o estado passou a registrar uma onda de ataques que se estenderam até a madrugada desta quinta-feira (19). Dezesseis ônibus, dois micro-ônibus, um carro do governo do estado, três carros da secretaria de Saúde de Caicó, duas delegacias e um prédio da secretaria de Saúde foram alvos de ataques. Não há informação sobre feridos. Os ataques ocorreram em oito cidades do estado.

Portaldaclube


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas