Maternidade recua e desiste de afastar médico após denúncias imprimir publicado em: 21 / 01 / 2017

clinicaA Clínica e Maternidade Santa Fé desistiu de afastar o obstetra e ginecologista Felizardo Batista, denunciado por supostos abusos sexuais a pacientes. De acordo com nota enviada à imprensa na manhã de hoje (21), o médico continuará com suas atividades normais.

Ontem, a Santa Fé havia anunciado que Felizardo Batista iria suspender o atendimento médico ambulatorial até maiores esclarecimentos sobre as denúncias. A Clínica ainda repudiou o comportamento de qualquer profissional com a atitude de aliciamento ou qualquer outra conduta que fira a dignidade do paciente.

A iniciativa de afastar o médico, de acordo com a nota anterior, reafirmava o compromisso da maternidade com a missão de promover a saúde e bem-estar da mulher.

Já a nota enviada hoje destaca que não há denúncias contra Felizardo Batista e que ele é um profissional de reputação ilibada. “Participa do corpo clínico da maternidade, sendo atualmente um dos profissionais mais requisitados pelas pacientes. O médico continuará com suas atividades normais”, diz o novo texto.

Ainda nesta sexta-feira (20), o Conselho Regional de Medicina orientou as supostas vítimas a denunciarem os abusos. O assessor jurídico Ricardo Abdala destacou que o CRM tem como função proteger a sociedade, e não o médico. Por outro lado, alegando o sigilo dos processos, o assessor afirmou que não poderia confirmar se havia denúncias registradas contra o médico Felizardo Batista.

Hoje, Ricardo Abdala declarou que não pode incentivar as vítimas de um caso específico a denunciarem. “Ontem eu me referi às denúncias de um modo geral. Toda e qualquer pessoa que se sentir prejudicada na relação médico-paciente, numa consulta, pode denunciar, mas não me referi ao Dr. Felizardo diretamente”, afirmou Abdala.

Já na Delegacia da Mulher da zona Norte, a delegada Vilma Alves adiantou que há várias denúncias contra o médico, mas não quis dar mais detalhes, pois ainda está investigando o caso.

Em um dos relatos, uma paciente contou que, na primeira consulta após o parto, o médico teria passado a mão nas suas pernas e feito o exame de toque. “Ele ficava colocando os dedos e empurrando. Enquanto isso, a mão estava na perna e subindo até perto do bumbum. Ele também foi ensinar um exercício para facilitar a amamentação, e nessa hora pegou no meu seio”, conta a paciente, que nunca havia revelado isso a ninguém. “Fiquei muito constrangida e em dúvida se era procedimento normal. Mas também não voltei mais depois disso”, completa.

Na noite de ontem, Felizardo Batista se pronunciou através de nota. Ele afirmou que todos os procedimentos feitos dentro de seu consultório seguem à risca o que orientam as normas médicas. O obstetra se disse consternado por conta das acusações e se colocou à disposição da polícia e da justiça para prestar esclarecimentos.

portalodia.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas