Messi vira exemplo para Neymar após superar “trauma” com sua seleção imprimir publicado em: 06 / 06 / 2012

Neymar

Neymar ainda não apresentou o mesmo futebol do Santos na seleção

Por incrível que pareça, Messi virou exemplo para Neymar não apenas por causa das excelentes atuações com o Barcelona. O melhor jogador do mundo, enfim, parece estar acabando com um antigo trauma: brilhar com a camisa da seleção.

É exatamente esse problema que Neymar precisa superar. E nada melhor que um jogo contra a Argentina, mesmo que seja amistoso. No próximo sábado, nos Estados Unidos, Neymar e Messi estarão frente à frente.

Após passar em branco no Mundial da África do Sul, Messi foi decisivo nos três amistosos mais importantes que a Argentina disputou desde então. Nas vitórias contra Espanha, Portugal e Brasil, o camisa 10 fez um gol em cada partida.

Para completar, nos últimos três jogos da Argentina, ele balançou a rede cinco vezes. Fez um na vitória contra a Colômbia, pelas eliminatórias, três contra a Suíça, em amistoso, e um contra o Equador, no último sábado, também pelas eliminatórias.

“Contar com ele é uma bênção, todos nós precisamos protegê-lo. Messi quase sempre joga bem. Nos últimos tempos, ele está acumulando grandes desempenhos também com a seleção”, comemorou Alejandro Sabella, técnico da seleção.

Até a imprensa argentina, que sempre criticou as atuações do melhor jogador do mundo sem a camisa do Barcelona, passou a exaltá-lo. Jornais como “Olé” e “La Nación”, por exemplo, publicaram que Messi está repetindo na Argentina o futebol apresentado no clube espanhol.

Enquanto isso, no Brasil, Neymar começa a ser cobrado por não ser decisivo na seleção comandada pelo técnico Mano Menezes. Nos últimos quatro jogos, ele fez apenas um gol. Na Copa América e nos amistosos contra grandes seleções como Argentina e Alemanha, o atacante também não jogou bem.

Após a derrota contra o México, no último domingo, até Pelé cornetou a atuação de Neymar. “Ele é um excelente jogador do ponto de vista técnico, mas pegou um vício de jogar só como ponta esquerda. Isso dificulta um pouco para ele. Eu mesmo já tive a oportunidade de falar isso para o Neymar”, disse o eterno camisa 10 do Santos.

“Ele também precisa perder esse vício de se jogar todas as vezes que leva uma entrada do marcador e querer fazer a coisa mais drástica. É uma coisa que não é boa para ele”, acrescentou Pelé.

Preocupado, Mano Menezes disse que a seleção brasileira não pode depender de apenas um jogador. “Não vamos ter uma seleção baseado só no Neymar . É perigoso ter um time baseado em um nome porque toda a preparação pode ir água abaixo se eles não forem para uma Copa ou não estiverem bem. Precisamos de uma equipe”, comentou.

iG


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Vale

últimas