Microsoft ganha contrato de quase US$ 1 bilhão do exército dos EUA imprimir publicado em: 21 / 12 / 2016

pentagonoA Microsoft receberá um pagamento de US$ 927 milhões do Pentágono – o Departamento de Defesa dos Estados Unidos – para oferecer suporte técnico à Agência de Sistemas de Informação de Defesa (DISA, na sigla em inglês). De acordo com a Reuters, a informação veio de uma declaração do Pentágono dada ontem, terça-feira, 20 de dezembro.

Segundo o site Sputnik News, a declaração do Pentágono informava que o contrato permitirá que “desenvolvedores de software e equipes de produtos acessem uma variedade de recursos proprietários e códigos-fonte”. A declaração não dava mais detalhes sobre os serviços que a empresa prestaria ao exército dos EUA, mas informava que a Microsoft agirá para dar suporte à missão do Departamento de Defesa.

Guerra digital

Embora não haja muitos detalhes quanto à parceria entre a Microsoft e o exército, o anúncio vem num momento de tensões crescentes no mundo digital. Recentemente, os EUA vêm demonstrando imensas preocupações com relação à segurança de seus sistemas após confirmar que hackers russos influenciaram as eleições no país.

Depois do relatório da CIA que confirmou essa informação, o governo do país prometeu retaliar contra os ciberataques, considerando que eles não poderiam ter ocorrido sem o conhecimento do governo russo. Nesse cenário, o contrato com a Microsoft poderia ter alguma relação com essa disputa. A Rússia recentemente proibiu o uso de softwares da Microsoft em seus sistemas estatais e bloqueou o LinkedIn.

Pode sobrar para nós

Uma parceria da Microsoft com o exército dos Estados Unidos também pode representar um risco para o Brasil. Recentemente, o governo de Michel Temer anunciou que abandonaria o uso de softwares livres nos sistemas estatais, substituindo-os por programas da Microsoft.

Nesse cenário, caso a Microsoft e o exército dos EUA decidam incluir algum código malicioso nos produtos da empresa por motivos de defesa, o Brasil seria diretamente afetado. Todas as informações confidenciais do governo brasileiro que estiverem em sistemas da Microsoft ficariam nas mãos do exército do país.

Olhar Digital


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Biocentro

últimas