Ministério confirma 42 mortes por febre amarela no país em 2017 imprimir publicado em: 28 / 01 / 2017

mosquitoO Ministério da Saúde atualizou os dados sobre a febre amarela no país em 2017. De 107 mortes suspeitas notificadas, 42 estão confirmadas. Os casos notificados são 555, com 87 confirmados. Eles ocorreram em Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, São Paulo, Goiás e Mato Grosso do Sul. Os seis casos suspeitos do Distrito Federal foram descartados.

O ministério da saúde avalia que o mais importante, agora, é a vacinação. Mas o aumento do número de casos gerou muitas dúvidas.

O vilão da febre amarela silvestre, o Haemagogus, vive nas matas e é o principal transmissor da doença. Além dele, outro mosquito, o Sabethes, também transmite no meio rural.

O Haemagogus tem por hábito picar tanto os macacos quanto os humanos durante o dia. A fêmea costuma depositar os ovos em ocos de árvores que tenham acúmulo de água. Da mesma forma que o Aedes aegypti, é a fêmea que transmite a doença.

Os vizinhos de um posto de saúde, em Belo Horizonte, estão bem longe da área do surto. Mas, está dando fila todo dia para tomar vacina
.
“A preocupação da gente, de mãe, normalmente é qual reações mesmo que a criança pode vir a ter”, diz a administradora de empresas Paula Paranhos.

“As reações da vacina de febre amarela são extremamente raras. Temos relatos de um caso para cada 400 mil doses aplicadas. É extremamente raro e geralmente acontece em alguém que tem algum tipo de deficiência imunológica”, explica Olindo Assis Martins Filho, pesquisador da Fiocruz/MG.

Adultos que perderam o cartão de vacinação ou não sabem se tomaram as duas doses recomendadas pelo Ministério da Saúde também estão em dúvida.

“Se você tomar uma terceira dose tem algum efeito colateral dessa vacina”, pergunta a advogada Lilian Muschioni.

“Você acha que você já tomou por exemplo 2 ou 3 doses ao longo da vida, mas não tem certeza, não tem o cartão. Na dúvida você deve por cautela se revacinar se você for residente na região onde ocorre o surto ou se for viajar para essas regiões”, explica o pesquisador.

A recomendação número um é manter sempre o cartão de vacinação atualizado. Duas doses da vacina da febre amarela são suficientes para imunizar por toda a vida. Apesar de ser considerada uma das vacinas mais seguras do mundo, há que se ter atenção com as contraindicações.

Como a vacina é fabricada com partes do vírus ela não é indicada para mulheres em fase de aleitamento, transplantados e pessoas em tratamento contra o câncer. Pessoas que têm alergia a ovo também não podem ser vacinadas.

Gestantes devem procurar orientação médica, assim como idosos que ainda não receberam nenhuma dose da vacina.

Doadores de sangue que tomarem a vacina só podem fazer doação após quatro semanas. E é importante lembrar que a vacina passa a ter efeito dez dias depois de aplicada.

A febre amarela é uma doença grave e contra ela a melhor prevenção é a vacina. “Não há necessidade nenhuma de pânico em pensar que vai faltar dose. Não, não vai faltar dose. O Brasil é o principal produtor mundial da vacina contra a febre amarela. Nós temos suficiente para vacinar toda a população do país. Inclusive, somos exportadores da vacina para a América Latina e para a África”, diz Olindo.

G1


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas