Morte de advogado pode ter sido execução; Polícia investiga em sigilo imprimir publicado em: 01 / 08 / 2014

AdvogadoO coordenador da Delegacia de Homicídios, Francisco Barêtta, informou que as investigações sobre a morte do advogado Francisco Fernandes de Moura, 51 anos, estão em segredo de justiça.

O advogado foi assassinado na noite da última quarta-feira (30), em sua chácara na zona rural de Teresina. Após os disparos que mataram a vítima, os bandidos fugiram levando uma caminhonete, que foi abandonada em seguida, no bairro Mário Covas.

Barêtta afirmou que, por estar correndo em segredo de justiça, não poderá dar detalhes sobre o caso. Ele não confirmou se foram expedidos mandados de prisão, mas disse que as duas hipóteses trabalhadas são latrocínio (roubo seguido de morte) e execução.

Na manhã de ontem, o filho do advogado afirmou que seu pai havia sido assaltado há alguns meses. Na ocasião, ele teria reagido. A família acredita que o assassinato seja uma espécie de vingança do mesmo grupo de criminosos.

Cidadeverde.com

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas