Mulherão? ‘Eu não me acho isso tudo que falam’, diz Juliana Paes imprimir publicado em: 25 / 08 / 2017

Juliana PaesÀs gargalhadas, Juliana Paes, de 38 anos, assume: anda com a boca meio suja. “Peguei o jeito meio masculino de falar da Bibi. Tenho falado mais palavrão e gíria! Esse jeitão dela está comigo e não vai me soltar tão cedo”, entrega a atriz, que na pele da traficante Bibi Perigosa é destaque em A Força do Querer. “Mas não quero levar nada dela para a minha vida pessoal. Só quero as novas bijuterias que ela vai usar nessa nova fase que são maravilhosas”, diz a atriz, sobre o figurino da personagem, que se tornou primeira-dama do morro e dará uma repaginada intensa no visual nos próximos capítulos que serão exibidos na TV Globo.

Na trama, Bibi, sangue quente e apaixonada pelo marido, Rubinho (Emílio Dantas), chegou a sair no tapa com a amante dele, a novinha Carine, vivida por Carla Diaz. Já Juliana não deixaria esse ciúmes transparecer jamais. “Sou ciumenta orgulhosa. Não daria esse gostinho para a outra pessoa de jeito nenhum! Não passo recibo de ciúme! Fico quieta”, diverte-se ela, que rebate as críticas de que a trama de Glória Perez glamouriza a vida no crime. “Não existe justificativa, mas há sempre uma explicação. A novela mostra histórias da vida real. Não tem como ignorar a realidade que estamos vivendo”, afirma Juliana, que acredita que Bibi deve ser punida. “Torço para que a Bibi se dê muito mal, para que quebre a cara. Mas torço também para que ela consiga se redimir e saia desse rolo em que se meteu”, diz.

Casada há nove anos com o empresário Carlos Eduardo Baptista e mãe de Pedro, de 6 anos, e Antonio, de 4, ela tem feito uma gincana para conciliar a rotina pesada de gravações de até 12 horas por dia com a vida familiar (a reportagem comprova, foram dias de negociação até encontrar uma brecha na agenda para a produção deste brilhante ensaio de capa). “Passo muito mais tempo na pele da Bibi do que em casa. Mas tento compensar nos fins de semana, principalmente aos domingos, que é quando me dou o direito de não sair e de fazer absolutamente nada”, explica ela, que também nega o rótulo de supermulher. “Me sinto presenteada por saber que tem gente que me acha um mulherão. Fico feliz. Mas é complicado porque não me sinto isso tudo que as pessoas acham”, diz aos risos.

MULHERÃO?
“Me sinto presenteada por saber que tem gente que me acha um mulherão. Fico feliz. Mas é complicado porque não me sinto isso tudo que as pessoas acham. Não acordo me achando essa Coca-Cola toda. É gostoso para mim ter esse retorno. Isso me estimula a me manter bem cada vez mais. Saber que inspiro as pessoas e que elas querem estar perto de mim tem importância política. Mudar o dia das pessoas com um sorriso é uma grande responsabilidade. E tento dar conta dela com o maior amor do mundo.”

Juliana

Quem News


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas