No PI, alunos correm contra o tempo na preparação para o Enem imprimir publicado em: 25 / 08 / 2018

aulaFaltando pouco mais de dois meses para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), os alunos da rede pública de ensino correm contra o tempo na preparação para a prova. Esta sexta-feira (24) marcou a volta às salas de aula depois de 77 dias de greve dos trabalhadores da educação. Estudantes e professores avaliam a melhor forma de compensar o tempo perdido.

“Vamos trabalhar com resumos e fazendo ‘bizus’. Buscando dar a eles uma capacidade melhor de interpretação para que eles possam resolver com menor espaço de tempo”, informou o professor de biologia Costa Júnior sobre a estratégia de ensino para preparar os alunos a tempo para o Enem.

A estudante Andressiane Costa, que pretende cursar fisioterapia na Universidade Federal do Piauí, garante que vai se esforçar para contrapesar o período sem aulas. “Minha preparação foi estudar praticamente em casa. Agora é tentar recuperar o tempo da aula da escola e estudar um pouco mais”, afirmou.

Ao todo, foram 94 dias de movimento grevista. A primeira greve aconteceu em maio, quando os trabalhadores da educação pararam por 17 dias. Na segunda vez, em junho, a categoria grevou por 77 dias. Agora, os educadores começam um novo planejamento para tentar concluir o ano letivo.

“Vamos ter que repor todas essas aulas aos sábados. Os pontos facultativos nós não vamos ter. Vamos ter que seguir o cumprimento dessas aulas que foram perdidas e hoje é dia de fazer o replanejamento”, explicou Evandro Sousa, diretor de uma escola da rede pública estadual.

De acordo com o superintendente de ensino superior da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), Ellen Gera Moura, cerca de 60% das escolas segue o ano letivo normalmente, porque não foram afetadas pela greve dos professores.

“Elas vão encerrar o período letivo em dezembro, seguindo normal o ano. Para as outras escolas, algumas tiveram paralisação parcial e em outras foi total. Nesse caso estamos passando por um momento de reprogramação do calendário escolar”, disse.

A Seduc vai avaliar a reprogramação para garantir que o ano letivo tenha a quantidade mínima de 200 dias letivos. Segundo Ellen Gera, cerca de 70 escolas vão ter calendário até fevereiro de 2019 para completar o ano letivo.

Portaldaclube

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas