No PI, menos de 1% do público alvo foi vacinado contra a gripe H1N1 imprimir publicado em: 01 / 05 / 2018

De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde nesta segunda-feira (30), o Piauí vacinou menos de 1% do público alvo contra a gripe H1N1. Ao todo, 689.276 pessoas estão aptas a receberem a imunização, mas até a última sexta-feira (27), apenas 3.899 foram vacinadas. A Campanha Nacional contra a Influenza será realizada até 1º de junho de 2018 e o dia D é 12 de maio.

Segundo a Sesapi, o Ministério da Saúde deverá repassar um total de 808 mil vacinas para a cobertura estadual divididas em sete remessas, que serão distribuídas pelas Regionais de Saúde para que sejam entregues aos municípios. Até o dia 25 de abril deste ano, 257 mil doses já haviam sido recebidas pelo Estado, sendo repassadas para os municípios.

“O Ministério da Saúde repassa as doses para a Saúde do Estado, que por sua vez redistribui proporcionalmente aos municípios, que ficam responsáveis pela vacinação da população e alimentação do sistema sobre dados vacinais”, informou a Sesapi.

Teresina

Em Teresina, todas as salas de vacinação devem retomar o calendário de vacinação a partir desta quarta-feira (2). Em nota, a Fundação Municipal de Saúde informou que, em decorrência do feriado hoje e do ponto facultativo desta segunda-feira, as salas de vacina não estarão abertas nestes dois dias, “por se tratarem de serviços considerados sem caráter de urgência ou emergência”.

A vacina

A vacina, que protege contra os vírus influenza tipo B, A H1N1 e A H3N2, reduz as complicações, as internações e a mortalidade decorrente das infecções por estes vírus na população alvo para a vacinação.

Fazem parte dos grupos prioritários os indivíduos com 60 anos ou mais de idade, as crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos de idade, as gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), os trabalhadores da saúde, os professores das escolas públicas e privadas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições especiais, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional.

Portadores de doenças crônicas e outras condições clínicas especiais, para se vacinar, deverão levar a prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina, que deverá ser apresentada no ato da vacinação. Pacientes que já fazem parte de algum programa de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) devem se dirigir às Unidades que estão cadastradas para receberem a vacina, ou buscar a prescrição com antecedência e se dirigir a qualquer sala de vacinação.

As vacinas utilizadas durante as campanhas de vacinação contra a influenza são constituídas por vírus inativados, fracionados e purificados, portanto, não contém vírus novos e não causam a doença. Alguns estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias, de 39% a 75% a mortalidade global e em, aproximadamente, 50% nas doenças relacionadas à influenza.

portalodia.com

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas