Quinta, 23 de maio de 2019
86 98179 0860
Tecnologia

15/02/2019 às 14h59

Redação

Teresina / PI

Grupos de hackers estão mais organizados, afirma diretora de segurança da Visa
Vice-presidente de combate de fraudes da operadora de cartões de crédito, Penny Lane mostrou como sua equipe está ajudando a combater esses criminosos.
Grupos de hackers estão mais organizados, afirma diretora de segurança da Visa
Penny Lane, diretora de segurança para fraudes em pagamentos da Visa, após palestra na Campus Party 2019 — Foto: Fábio Tito/G1

Grupos de hackers especializados em roubos e ataques financeiros estão cada vez mais treinados, habilidosos e organizados. É o que afirmou Penny Lane, vice-presidente de disrupção de fraudes da Visa, em palestra durante a Campus Party, nesta quinta-feira (14) em São Paulo.

Na apresentação, intitulada “Hackers não usam moletom”, ela mostrou um panorama de como estão dispostos os grupos que realizam ataques a redes financeiras em níveis globais e lembrou que hoje esses grupos são organizados, não apenas jovens com um computador em um porão.

Com carreira construída no Departamento de Defesa e na Agência Nacional de Segurança (NSA), Lane, que é matemática de formação, se especializou em criptografia e segurança. Depois de 15 anos no setor público, ela foi para a iniciativa privada. Na Visa, ajudou a criar os primeiros times de hacking ético da empresa e uma equipe de ataques internos, que testa vulnerabilidades no sistema de segurança.

Hoje, ela dirige um time que traça a origem, os métodos e as habilidades de grupos criminosos que atuam em grandes golpes internacionais. “Hackers são grupos organizados, preparados e treinados. Nós tentamos atrasar a operação deles e forçá-los a cometer erros”, disse Lane.

De acordo com ela, esses grupos podem ser divididos em três categorias: grupos organizados e especializados, hackativistas (que têm motivações políticas ou religiosas, por exemplo) e até Estados Nacionais. “Temos fontes, monitoramos os diversos cantos da web e padrões nos ataques, mas a especialização desses grupos eleva o nível de ameaça com que estamos lidando”, disse ela em entrevista.

A equipe de Lane entra em contato com autoridades e governos para avisar sobre ameaças que conseguiram detectar. O que nem sempre é tão simples, porque os ataques são coordenados a fim de evitar alarme nos sistemas de segurança.

O time também pratica o que ela chamou de disrupção legal. “O objetivo desses grupos é fazer ataques com o melhor custo benefício, então eles acabam usando os mesmos servidores em diferentes ataques. Nós conseguimos entrar em contato com esses servidores e avisar do mal uso da ferramenta e atrasar a atuação dos criminosos”, explicou.

Como exemplo, a executiva apresentou o caso do Roubo do Banco de Bangladesh, em que hackers tentaram roubar quase U$ 1 bilhão de um pequeno banco do país asiático em 2016. Arquitetado perfeitamente em termos de horário e invasão, o plano só deu errado por conta de um erro de digitação dos ladrões, que ainda conseguiram sair impunes com US$ 63 milhões.

Perguntada sobre a moralidade de roubar bancos, Lane rebateu: “Pode parecer uma atitude como de um Robin Hood, mas os custos no final das contas são repassados para as pessoas pelos bancos e pelos governos”, disse.

Os dados na proteção do usuário

Assim como outras indústrias, a Visa tem trabalhado cada vez mais com inteligência artificial e "machine learning" para lidar com grandes quantidades de dados.

Mas se grandes empresas de tecnologia utilizam dados para segmentar audiência e vender conteúdo, a Visa, como operadora de cartões, consegue usá-los para proteger em um momento de compra.

“Quando você compra algo conseguimos cruzar mais de 100 informações como geolocalização, autenticação e perceber se aquela transação está fora dos padrões”, afirmou Penny Lane, que reiterou que tudo isso acontece quase instantaneamente e de forma anônima, respeitando leis de dados como a Lei Geral de Proteção de Dados, que passa a valer no próximo ano no Brasil.

FONTE: G1

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Tecnologia e games

Tecnologia e games

Blog/coluna Tudo sobre tecnologia e games em um só lugar!
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium