Novo sistema vai agilizar emissão de documentos no Piauí imprimir publicado em: 05 / 10 / 2017

atiUma parceria que teve início ainda em 2015 começa a dar frutos este ano. A Agência de Tecnologia da Informação do Piauí – ATI, a Secretaria Estadual de Segurança Pública e o Instituto de Identificação João de Deus Martins estão ministrando treinamento para servidores que trabalham com emissão de documento RG, no interior e na capital, pois a emissão contará com um sistema mais ágil a partir desse mês.

Atualmente o Instituto de Identificação envia fichas para as prefeituras que possuem convênio com o órgão. Por sua vez, as prefeituras coletam informações como digitais e foto 3×4 dos cidadãos para emitir os documentos. Com o novo sistema que será implantado, os dados continuarão sendo coletados, porém não será mais necessário o envio de fichas do instituto para o interior, pois as informações coletadas serão atualizadas na plataforma.

Segundo Marcus Pinheiro, diretor-geral do Instituto de Identificação, o processo de expedição da carteira de identidade para o interior será menor. “Atualmente demora de três a quatro meses, pois as prefeituras vêm até a capital, pegam fichas, prontuários e cédulas de identidade, levam para a cidade, coletam as informações e trazem para cá, aqui imprimimos e enviamos o documento para o município, com o novo sistema vai ser bem mais rápido”, comentou.

O treinamento dos servidores para uso dessa nova ferramenta começou em Teresina, já passou por Picos e seguirá ainda para Floriano e Parnaíba. O próximo passo na atualização do atual sistema de emissão de documentos, de acordo com o diretor de Tecnologia da ATI, David Amaral, será a aquisição de equipamentos para realizar a coleta biográfica referente aos dados físicos da população.

“Logo após esse primeiro processo, vamos começar a coletar a biometria e a foto digitalmente, com isso o cidadão não precisará mais gastar dinheiro com foto 3×4, nem com xerox de documento e nem sujar o dedo com tinta”, explica. O sistema trará economia tanto para o piauiense quanto para o estado, que deixará de gastar com papel e tinta para impressão desses documentos.

Padrão Internacional
Junto a coleta biométrica com dez dedos rolados, padrão utilizado pela Interpol, FBI e Polícia Federal, também haverá a criação de um banco de dados único para o Estado, que poderá ser utilizado por órgãos como o Detran, a própria Secretaria de Segurança Pública, o Tribunal de Justiça, outros.

“Esse trabalho vai nos levar ao ponto de alguém estar fazendo uma consulta e se houver algum mandado de prisão para a pessoa nós conseguiremos identificar. Com isso, o banco de dados também vai auxiliar ao policial que está lá na rua”, disse o secretário Estadual de Segurança Fábio Abreu.

A emissão da identidade de nacionalidade estrangeira para turistas também poderá ser solicitada em qualquer ponto de atendimento do Governo.

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas