OAB lança campanha ‘Corrupção Zero’ na próxima semana imprimir publicado em: 18 / 08 / 2011

oabpiEstá marcado para as 8 horas desta segunda-feira (22), no auditório da OAB-PI, o lançamento oficial da Campanha “Corrupção Zero”. A iniciativa da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Piauí – tem como principal objetivo agilizar o julgamento de processos relativos a casos de corrupção e, assim, combater a impunidade, que é a grande incentivadora desse tipo de crime.

O pontapé inicial da Campanha foi a criação de uma equipe específica para tratar do assunto: a Comissão de Combate à Corrupção e Impunidade. Esse grupo de advogados e advogadas solicitará a relação de todos os processos referentes a casos de corrupção que tramitam tanto na Justiça Comum quanto na Justiça Federal.

Durante o lançamento, a diretoria da OAB-PI planeja traçar um histórico de como a Ordem dos Advogados tem lutado contra a corrupção ao longo dos anos, apresentar a Comissão de Combate à Corrupção e Impunidade, ouvir as instituições presentes sobre como elas podem contribuir com a campanha e, por fim, lançar um desafio ao Tribunal de Justiça do Piauí e ao Tribunal Regional Federal, para que concluam o levantamento dos casos de corrupção em determinado prazo.

Após esse levantamento, a Ordem solicitará ao presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, desembargador Edvaldo Moura, e ao diretor do Fórum do Tribunal Regional Federal no Piauí, juiz Carlos Augusto Pires Brandão, ações que agilizem o julgamento desses processos.

Dentre os órgãos convidados para o lançamento da campanha estão: Controladoria Geral da União, Tribunal de Contas da União, Advocacia Geral da União, Ministério Público Federal, Controladoria Geral do Estado, Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público do Estado, Procuradoria Geral do Estado, Associação do Ministério Público, Associação dos Magistrados Piauienses, Tribunal de Justiça do Piauí e Diretoria do Foro da Justiça Federal.

O presidente da OAB-PI, Sigifroi Moreno, destaca que todas as instituições, governamentais e não-governamentais, juntamente com a sociedade, precisam unir forças contra a corrupção e lutar pela punição efetiva dos culpados. “Precisamos nos indignar contra a corrupção, que se alastra de forma desmedida. Temos que encontrar uma saída para reverter essa situação”, pontua.

Ascom/OAB


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas