Onda de assaltos assusta usuários do transporte público em Teresina imprimir publicado em: 06 / 02 / 2017

onibusO transporte público de Teresina apresenta muitos problemas estruturais e operacionais, mas o que tem preocupado a população é a onda de assaltos e arrastões que ocorrem tanto nas paradas de ônibus como também dentro dos próprios coletivos. Segundo dados do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários no Estado do Piauí (Sintetro-PI), pelo menos um ônibus é assaltado por dia em Teresina.

De acordo com o presidente do Sintetro-PI, Fernando Feijão, o sindicato contabilizou 30 ocorrências de assaltos/arrastões nos ônibus da capital durante o mês de janeiro.

“Os ônibus que fazem linha no bairro Lourival Parente, na zona Sul, são os que mais sofrem ataques de criminosos. Somente em janeiro deste ano foram registrados 10 assaltos nesta linha. Outros oito assaltos foram registrados nos ônibus da empresa Transcol que fazem linha também na zona Sul. No total foram 18 ocorrências somente nesta zona no primeiro mês do ano”, disse o presidente do Sintetro.

População insegura – A técnica em laboratório Andreia Almeida da Silva, 28 anos, já foi assaltada oito vezes em paradas de ônibus ou próximo; e também dentro do coletivo.

“Eu me senti impotente. O pior assalto que sofri foi quando eu estava indo para a igreja, um rapaz me abordou e desceu da moto, ele ficou tocando no meu corpo. Naquela hora me senti incapaz e humilhada, não pude fazer nada. Se não fosse meus colegas, ele podia ter feito qualquer coisa comigo, mas ele ainda deu um soco na minha boca porque ficou com raiva dos meus amigos terem gritado”, relata Andreia.

Somente no 3º Distrito Policial, Andreia registrou três boletins de ocorrência. Ela mora no bairro Tabuleta, zona Sul de Teresina, e conta que todos os assaltos que sofreu foi no próprio bairro, com exceção de um que foi no Centro. Outro fato que chama a atenção é que sete abordagens foram de motociclistas, um usava canivete e os demais revólveres.

parada de onibus

Arrastões em ônibus e paradas – Segundo o Sintetro, em 2016 foram registrados 182 assaltos a ônibus em Teresina. A estudante de Direito, Maria Clara Lima, foi vítima de arrastão dentro do ônibus que faz a linha Lourival Parente.

“Eram dois homens que fingiram ser passageiros. Quando o ônibus chegou próximo ao balão da Miguel Rosa, eles anunciaram o assalto e fizeram o motorista mudar a rota. Foi assustador, eles recolheram os celulares e pertences de todo mundo”, conta a estudante.

Já as paradas de ônibus da avenida Barão de Gurgueia vêm sendo um ponto estratégico para a ação dos bandidos durante a noite. No último dia 20, por volta das 20h30min, quatro homens estavam nesta parada quando entraram no ônibus que faz linha no bairro Irmã Dulce, zona Sul. De imediato, ordenaram que o motorista desviasse a rota e enquanto um apontava a arma para o motorista, outro pegava o dinheiro com o cobrador e dois recolhiam os pertences dos passageiros.

Policiamento ostensivo – De acordo com o coronel John Feitosa, relações públicas da PM-PI, estão sendo realizadas, a todo momento, ações que visam diminuir os assaltos no transporte público de Teresina.

“Tudo que pode ser feito pela Polícia Militar para garantir a segurança da população, está sendo feito. Temos a “Operação Start”, que é permanente, e trata-se de um trabalho desenvolvido pelo Planejamento Estratégico da Polícia, desenvolvida pelos sete batalhões da PM em conjunto com a Força Tática, Companhia de Independente de Policiamento de Teresina (Ciptran) e o Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRE) ”, explica o coronel.

Segundo o coronel John, a operação tem como objetivo coibir e reprimir atividades criminosas como furtos, assaltos nas ruas, principalmente em pontos de ônibus.

O 5 º Batalhão da Polícia Militar vem realizando barreiras e abordagens dentro de ônibus na região do bairro Pedra Mole, zona Leste, devido os casos de assaltos a ônibus nesta área.

Para a Polícia Militar, as empresas de ônibus devem investir na melhoria do transporte a fim de contribuir com a diminuição dos casos de assaltos dentro dos coletivos.

O cobrador é quem paga a conta – O Sintetro denuncia que quando ocorre assalto nos coletivos, o cobrador é obrigado a ressarcir todo o valor levado pelos bandidos.

“Os empresários ameaçam os cobradores, se o cobrador não tirar do bolso dele para cobrir o prejuízo do assalto, ele sofre ameaça de perder o emprego. Os empresários querem que deixem apenas R$ 20 na gaveta, mas não tem como porque se os bandidos chegarem e não encontrarem dinheiro, é o funcionário quem morre”, denuncia Fernando Feijao.

No dia 24 de janeiro, motoristas e cobradores de ônibus fizeram manifestação em frente a garagem da empresa Transcol, que faz linhas para a zona Sul. A categoria protestou contra os arrastões que vêm acontecendo nos coletivos. Uma das reivindicações é a instalação de botões do pânico ônibus que foi prometido pelo Setut desde o ano passado.

Setut – O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) informou que o botão de pânico será instalado em todos os ônibus ainda este ano, mas não tem uma data definida.

População reage – Constantemente motoristas, cobradores e passageiros vivem momentos de pânico e passam a fazer “justiça” com as próprias mãos. Pelo menos dois casos de linchamentos de assaltantes de ônibus foram registrados em uma semana em Teresina.

No dia 27 de janeiro, dois adolescentes, um de 14 anos e outro de 15 anos, foram linchados por passageiros do ônibus que fazia linha para o bairro Porto Alegre, zona Sul de Teresina. Havia 20 passageiros que foram rendidos juntamente com o motorista e cobrador.

Os dois já haviam realizado outro assalto na mesma linda de ônibus e foram reconhecidos pelos passageiros. Após descerem do ônibus, populares perceberam que a dupla usava arma de brinquedo e uma faca. Os suspeitos foram perseguidos e espancados com chutes e pauladas. Os assaltantes foram conduzidos para o Hospital de Urgência de Teresina – HUT.

Já no dia 3 de fevereiro, outro adolescente de 17 anos foi agredido pela população após fazer arrastão em um ônibus, no bairro Deus Quer, na zona Sudeste. Ele foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento da Unidade do bairro Renascença e apreendido em seguida.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

últimas