Paes Landim rebate delator e nega recebimento de ‘caixa 2’ imprimir publicado em: 12 / 12 / 2016

Paes LandimO deputado federal José Francisco Paes Landim (PTB-PI) divulgou, na tarde desta segunda-feira (12), nota na qual repudia as denúncias feitas contra ele no acordo de delação premiada de um dos ex-diretores da construtora Odebrecht, Cláudio Melo Filho, feito no âmbito da operação Lava Jato, da Polícia Federal. Acusado de receber R$ 100 mil não declarados e outros R$ 80 mil declarados, o parlamentar diz que se seu patrimônio mudou foi para seu “empobrecimento”.

 

Nota de esclarecimento

“A bem da verdade, nunca me fascinaram ao longo da minha vida pública o dinheiro ou as vaidades pessoais. Nesses anos, se tive alguma alteração patrimonial, foi de empobrecimento, posto que quando participei da minha primeira campanha, em 1986, vendi o único bem que possuía – um apartamento em Brasília”, diz o deputado na nota, dividida em 13 tópicos nos quais ele descarta ter agido em favor da Odebrecht e e destaca sua atuação parlamentar.

Paes Landim afirma que todas as doações de campanhas eleitorais foram devidamente contabilizadas e feitas conforme a lei. “de modo que jamais recebei qualquer recurso não contabilizado, por meio de ‘Caixa 2′”, garante.

O deputado diz também que jamais destinou recursos de emendas parlamentares para qualquer obra da empreiteira. “Nunca procurei beneficiá-la apresentando destaques em medidas provisórias ou projetos de leis”, destaca. “Quem acompanha minha trajetória sabe que nunca participei de acordos não republicanos.”

O parlamentar também comentou o pronunciamento feito por ele em fevereiro de 2012, sobre a morte do piauiense Cláudio Melo, ex-diretor da Odebrecht e pai do agora delator Cláudio Melo Filho. “Tratou-se apenas de uma homenagem a um cidadão, por sua origem e sua trajetória, como tantas outras que prestei.”

Paes Landim ainda contesta o depoimento de Cláudio Melo Filho, que afirmou ter sido procurado pelo deputado para que participasse da construção do aeroporto de Parnaíba, no litoral do Piauí. “O aeroporto foi inaugurado no longínquo ano de 1971. De lá para cá, passou por algumas reformas e ampliações, executadas pelo Governo do Estado do Piauí, e sobre as quais nunca tive qualquer ingerência.”

Cidadeverde.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Esporte

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas