Para evitar bullying, app Secret veta posts com nome e foto de pessoas imprimir publicado em: 25 / 08 / 2014

Envolvido em uma série de polêmicas que culminou no decisão da Justiça brasileira de exigir sua suspensão das lojas de aplicativo, o Secret anunciou na sexta-feira (22) mudanças para evitar que a plataforma de mensagens anônimas continue a exibir posts ofensivos. Entre elas estão a proibição de publicações com nomes próprios e com fotos da biblioteca do smartphone.

secretAs mudanças serão adicionadas aos aplicativos para Android e iOS já na semana que vem. “Nós acreditamos que essas melhorias nos levarão adiante na nossa jornada de ajudar o mundo a se expressar seguramente o que nós realmente pensamos e sentimos”, informou a empresa.

A partir da atualização dos aplicativos, as publicações que incluírem nomes próprios serão bloqueadas. “Nós mudamos nossa posição sobre usar nomes reais.”

A companhia informou ter implantado um filtro que detectará “palavras-chave, sentimento e fotos de pessoas”. Mensagens que contiverem algum desses itens acenderão a luz amarela no aplicativo. “Se nós detectarmos uma violação potencial das diretrizes, oferecemos ao autor a oportunidade de repensar suas decisões antes de pensar”, afirma a equipe do Secret. Caso o usuário prossiga, o post será analisado para se saber se está dentro das regras do app.

Além disso, não será mais possível publicar imagens da biblioteca do aparelho. Serão liberadas apenas fotos tiradas no ato da publicação e pelo próprio aplicativo. Para que as imagens não sumam do aplicativo de vez, o Secret informou um acordo com a plataforma de imagens Flickr, do Yahoo. O aplicativo foi integrado ao Flickr, que vai oferecer imagens em alta resolução para serem utilizadas como plano de fundo de postagens.

Os usuários serão motivados a responder perguntas com “sim” e “não”, como “Você ainda vê seu melhor amigo nos tempos da escola?”. “Essa pode ser uma ferramenta poderosa para ter respostas rápidas e honestas de pessoas na sua rede e além dela”, afirma a empresa.

Anonimato
Na terça-feira (22), a Justiça do Espírito Santo determinou a suspensão do Secret das lojas de aplicativos da Apple e do Google, além da retirada do Cryptic, de funcionamento semelhante, da loja da Microsoft. Além disso, foi ordenada a remoção dos aplicativos de aparelhos em que já estivesse instalados. As duas medidas figuravam em ação civil pública do Ministério Público do Espírito Santos.

A ordem deveria ser cumprida dentro de dez dias, com multa de R$ 20 mil por dia de descumprimento. A Apple retirou o aplicativo da App Store. Além disso, pesquisadores descobriram uma forma de minar o principal trunfo do aplicativo, o anonimato.

G1

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas