Partidos da oposição saem de seis para apenas dois na Alepi imprimir publicado em: 10 / 10 / 2018

alepiOs principais partidos de oposição ao governo de Wellington Dias (PT) na Assembleia Legislativa começarão o novo mandato, em 2019, com menos representantes do que a atual legislatura. O PSDB e PSB perderam quatro cadeiras na Casa, enquanto o DEM uma e contribuíram diretamente para o enfraquecimento da oposição.

No atual mandato o PSDB conta com Edson Ferreira, Marden Menezes e Luciano Nunes; a partir de fevereiro, apenas Marden estará representando o partido. Edson Ferreira não participou da disputa e Luciano Nunes concorreu ao governo do Estado, mas perdeu o pleito. Já o PSB é hoje representado pelos deputados Gustavo Neiva, Juliana Moraes Sousa e Rubem Martins; em 2019 só Gustavo Neiva continuará legislando. A deputada Juliana Moraes foi candidata a deputada federal, mas não ganhou a disputa, e Rubem Martins tentou a reeleição, sem êxito.

Dentre os partidos oposicionistas, também perderam vaga o Solidariedade, que tinha apenas Dr. Pessoa na composição da Alepi; e o DEM, uma vez que Robert Rios tentou a eleição para o Senado. Além destes, O PTC e o PRB mantiveram suas bancadas, um representante de cada sigla: Evaldo Gomes e Gessivaldo Isaías, respectivamente. “O governo mostrou uma força gigantesca, uma grande máquina, e agora temos uma oposição pequena. O povo do Piauí deverá ficar vigilante e eu vou arranjar uma maneira,como cidadão piauiense, de poder exercer uma fiscalização sobre os atos de governo a partir do próximo ano”, disse Robert Rios.

Mesmo com a perdas, o PV e o PPS conseguiram duas cadeiras (uma de cada partido) e vão ingressar na Alepi, acrescentando à oposição. Até o final deste ano, a Alepi conta ainda com 10 oposicionistas. O número será reduzido drasticamente na próxima legislatura. Partidos de oposição elegeram apenas seis deputados, e entre eles, Gessivaldo Isaías e Oliveira Neto são próximos ao governador.

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas