Piauí registra maior temperatura do país e menor umidade relativa imprimir publicado em: 19 / 08 / 2016

solContinuam dias secos e quentes no Piauí, devido a atuação de uma massa de ar seco, o que inibe a nebulosidade e deixa a umidade do ar muito baixa, abaixo de 20%, além de favorecer temperaturas elevadas. Na última quarta-feira (17), das dez maiores temperaturas registradas no Brasil pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), cinco foram no Piauí: Oeiras(39,4ºC) Floriano(39,7ºC), São João do Piauí (39,6ºC), Bom Jesus (39,3ºC), sendo a maior do país na cidade de Gilbués (40,1°C), município localizado no extremo sul do estado.

Os menores valores de umidade relativa do ar também foram verificados no Piauí, sendo que o ponto crítico foi alcançado pelo município de Carocol, com 11%, o que caracteriza estado de emergência. “Quando a umidade está entre 20% e 30%, considera-se estado de atenção. No estágio de alerta a umidade se encontra entre 12% e 20%. Com a umidade abaixo de 12%, chega-se ao estado de emergência”, explica a gerente de Hidrometeorologia da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Piauí – Semar, Sônia Feitosa.

“A umidade relativa do ar é inversamente proporcional às temperaturas, ou seja, quanto maior a temperatura, menor a umidade. Os meses compreendidos entre agosto e dezembro são caracteristicamente secos, com altas temperaturas e baixa umidade, que deve continuar atingindo níveis críticos em todas as regiões do Estado. A tendência é de continuidade de dias quentes e de baixa umidade do ar, aumentando assim os riscos ao meio ambiente, o que inclui a flora, fauna, recursos hídricos e também traz riscos à saúde humana”, completa Sônia Feitosa.

Sobre o período chuvoso, ainda de acordo com a meteorologista, este ano deve iniciar mais cedo que em 2015. Já na segunda quinzena de outubro devem cair as primeiras chuvas, na região sul do Piauí. A causa é a atuação do La Niña, fenômeno que produz o resfriamento no oceano Pacífico e causa o aumento das chuvas na região nordeste do Brasil.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

0 comentário Comente agora!

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

últimas