PM expulsa poeta Chiquinho Garra de antigo prédio do INPS imprimir publicado em: 06 / 10 / 2017

conexao loveO poeta Francisco de Assis Silva, conhecido como Chiquinho Garra, foi expulso do antigo prédio do Instituto Nacional de Previdência Social (INPS), nesta sexta-feira (06). A ação envolveu equipes do 1º Batalhão de Polícia Militar e até mesmo do Bope.

O major Carlos Teixeira, comandante do 1º BPM, conta que a PM foi ao local após denúncias de que moradores de rua e usuários de drogas invadiram o prédio que, supostamente, também estaria servindo de esconderijo de produtos roubados.

“Tivemos informações que moradores de ruas e usuários de drogas estavam utilizando esse prédio e depredando o patrimônio público. Encontramos várias salas com aparelho de TV, som, ligações clandestinas de água e luz, vestígios de uso de drogas. Muitos das pessoas que estavam morando no prédio passariam o dia praticando roubos no centro e trazendo pra cá. Uma funcionária do patrimônio público da União já esteve aqui e disse que vai tomar as providências cabíveis”, disse o major Teixeira.

Dos sete andares do antigo INPS, dois estariam sendo ocupados. A PM informou ainda que, em média, cinco pessoas moravam no local. Contudo, no momento da abordagem havia apenas o poeta.

Poeta morava no prédio há cinco meses

Chiquinho Garra, 55 anos, contou ao Cidadeverde.com que morava no local há cinco meses após ter sido despejado de uma residência em Timon-MA. Ele- que também já foi candidato a vereador- conta que morava sozinho no prédio e que não é usuário de drogas.

“Eu atrasei o aluguel em Timon, fui despejado e fiquei sem lugar para morar. Aqui não tinha ninguém e entrei. Quando cheguei aqui estava cheio de lixo, limpei e até plantei onde era chão bruto. Confesso também que mandei ligar a energia…Sei que isso é errado”, disse Chiquinho Garra que preparava o café da manhã no momento da abordagem policial.

O poeta sobrevive fazendo ‘bicos’ de reciclagem. Após ser retirado do prédio, ele disse: “vou morar na rua”.

“O que a gente quer das pessoas é respeito e dignidade. Algumas pessoas pagam o almoço, me ajudam… a vida não é do jeito que a gente quer. Sou vítima da injustiça social, mas nem por isso vou usar drogas “, desabafou o poeta.

Além de um lugar para morar, Chiquinho Garra também tem outro sonho: publicar um livro. A publicação será intitulada de  “Conexão Love II”.

“Eu leio muito e me inspiro nos fatos que acontecem. Sou muito popular, mas cadê os amigos?  Fiz um empréstimo para fazer meu livro, mas ainda falta R$ 1.200. Quem puder me ajudar… não vou me entregar”, disse Chiquinho Garra, exibindo um recibo de pagamento de uma parcela referente aos serviços gráficos do livro.

 

pm

Cidadeverde.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas