PMs de Barras aderem ao movimento POLÍCIA LEGAL imprimir publicado em: 15 / 08 / 2011

Viatura sem cela é um risco para policiais

Viatura sem cela é um risco para policiais

A polícia Militar de Barras esclarece que aderiu ao movimento estadual que luta por melhoria salarial iniciado na última quarta feira pela PM em todo o estado.

O movimento não se trata de greve porque, pelo regulamento militar, a PM não pode fazer greve. O movimento chamado POLÍCIA LEGAL, como o nome sugere, está em conformidade com a lei.

De acordo com os regulamentos militares, os policiais não podem ir às ruas sem coletes, armamento funcionando, munições suficientes e viaturas em bom estado de uso, devidamente emplacadas. Além disso, os motoristas devem ser habilitados para dirigir veículos de emergência.

“Então o que está acontecendo é o estrito cumprimento da lei, pois como agentes de segurança pública, deve-se cumpri-la. Antes os policiais davam o velho jeitinho brasileiro, agindo na ilegalidade. No município de Barras, particularmente, as únicas armas de propriedade da Polícia Militar que os policiais usam são fuzis. A viatura, com quatro anos de uso, não tem cela, arriscando a vida dos policiais que fazem a condução de indivíduos muitas vezes perigosos.

Com todos esses problemas, o serviço que já é perigoso torna-se ainda pior. E com todos esses riscos a remuneração ainda é baixa. A remuneração inicial de um ingressante na polícia militar é de R$ 1405. Já para a polícia civil foi aprovado um aumento em que o agente deve receber salário inicial de R$ 2527. Se todos trabalham por uma causa nobre, para que uma polícia RICA e outra POBRE?

Por isto, os PMs em Barras acompanham o movimento. Os policiais pedem isonomia salarial com a polícia civil, melhores condições de trabalho, ingresso com nível superior, subsidio e valorização profissional. E mais uma vez lembra-se, apesar de dizerem o contrário: NÃO É GREVE. É um movimento estritamente legal.”, diz mensagem.

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas