Polícia investiga perfil psicológico de primeira dama encontrada morta imprimir publicado em: 21 / 01 / 2017

primeira dama de barreirasA causa da morte da ex primeira-dama de Barreiras do Piauí, Crisleyde Sousa, ainda é um mistério. O delegado que preside as investigações do caso, Welton Martins, informou que não recebeu os laudos das perícias realizadas no dia em que Crisleyde foi encontrada morta, no último dia 13. O prazo para a entrega encerrava nesta sexta-feira (20).

“Os laudos são imprescindíveis. Prefiro não me manifestar sobre as circunstâncias da morte sem antes ter recebido os laudos”, disse o delegado. Até agora, o delegado ouviu vários depoimentos. Um deles foi  o do prefeito eleito de Barreiras, Maurício Neto Parente Lacerda, conhecido como Mauricinho. Na oitiva, apesar de não ter presenciado a cena, o gestor declarou que o caso foi de um suicídio.

O delegado também colheu informações sobre o perfil psicológico de Crisleyde. Segundo as investigações, a ex primeira-dama,  não vivenciava uma depressão. “Ela tinha problemas comuns, corriqueiros, nada fora do normal”, resumiu o delegado Welton.

O inquérito que apura a morte da ex primeira-dama deve ser concluído até o dia 12 de fevereiro. Caso haja necessidade, o delegado deve pedir prorrogação do prazo por mais 30 dias.

“Os laudos são importantes para averiguarmos se as versões contadas nos depoimentos realmente batem com a verdade”, explicou o delegado Welton.

A primeira-dama de Barreiras do Piauí, Crisleyde Sousa, 29 anos, foi encontrada morta dentro da própria residência na noite de sexta-feira (13).

Cidadeverde.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas