Polícia suspende enterro para fazer perícia em corpo em Gilbués imprimir publicado em: 07 / 01 / 2016

O corpo de um homem foi removido pela Polícia Civil de dentro do caixão nesta quinta-feira (7) quando era levado ao cemitério na cidade de Gilbués, a 797 km de Teresina. O fato aconteceu após a denúncia de que a vítima teria sido assassinada, e não cometido suicídio, como havia informado a família.

Segundo o delegado Moisés Aragão, da Delegacia de Corrente, a primeira informação que chegou à polícia foi de que um homem de 40 anos havia sido achado morto em um matagal na quarta-feira (6) e que teria atentado contra a própria vida. No entanto, ao ajeitar o corpo para o velório os funcionários da funerária identificaram marcas de quatro facadas no pescoço da vítima e uma pancada forte na cabeça.

“O proprietário da funerária suspeitou do caso e fez a denúncia. Deslocamos uma equipe até o local para apurar o que realmente aconteceu. Acho estranho ser suicídio. Uma pessoa não seria capaz de fazer várias perfurações no próprio pescoço e ainda aplicar uma machadada na cabeça sozinho”, avaliou o delegado.

O comandante do Grupamento da Polícia Militar de Gilbués, tenente Getúlio Salviano, informou que a família procurava a vítima há dois dias e devido ao estado avançado de decomposição do corpo não foi feito perícia.

“O homem foi levado diretamente para a funerária e o caixão estava de saída para o cemitério, quando o delegado deu ordem para interromper a cerimônia. Estamos aguardando a perícia chegar para analisar o corpo e o local onde ele foi encontrado”, falou o comandante.

Um inquérito policial foi aberto para apurar as causas da morte.

Portaldaclube


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas