Pousada em que casal se acidentou tem estrutura comprometida imprimir publicado em: 20 / 01 / 2016

estruturaOs proprietários da pousada onde aconteceu o acidente com o casal de médicos em Barra Grande deverão ser ouvidos na próxima semana pela Polícia Civil. O inquérito, aberto pela Delegacia Regional de Luís Correia, apura as causas da queda que vitimou fatalmente o médico Paulo César de Carvalho e deixou ferida sua mulher, a obstetra Leânia Carvalho.

Em vistoria feita na pousada, o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (CREA) constatou desgaste na estrutura da pousada e a presença de cupins correndo a madeira da varanda de onde os médicos caíram. Para o presidente do CREA, Paulo Roberto Rodrigues, não se pode culpar o engenheiro responsável pela obra nem seu projeto estrutural, mas deve-se averiguar a falta de manutenção física da pousada.

“Um local todo construído na madeira tem que ter manutenção periódicas porque se trata de um material de desgaste rápido, ainda mais uma área litorânea como aquela, com a maresia”, destaca o presidente do CREA.

Ainda segundo Paulo Roberto Rodrigues, o CREA  espera receber até o próximo sábado, dia 23, os primeiros relatórios das vistorias em pousadas do litoral piauiense. A ação foi iniciada no começo do mês, após o acidente com um casal de médicos de Goiás que passavam férias em Barra Grande. Três dias após o acontecido, o CREA acionou as Prefeituras do litoral para fazer a fiscalização de modo a evitar novos acidentes.

cupim

Essa vistoria vai avaliar itens técnicos, como a manutenção da estrutura física das pousadas, e itens legais, como a existência e a validade dos alvarás de funcionamento desses locais de hospedagens. “Tem muitas pousadas no litoral que funcionam de forma irregular, sem nenhum registro na Prefeitura ou que foram levantadas sem nenhuma fiscalização por parte dos órgãos competentes e isso atinge diretamente a segurança de quem trabalha e quem se hospeda nesses lugares”, diz Paulo Roberto.

casalMédico teve morte cerebral

Ontem (19), o médico Paulo César de Carvalho, teve sua morte confirmada por amigos e familiares. Ele estava internado há quatro dias em um hospital de São Paulo, após ter passado 17 dias na UTI de um hospital particular em Teresina. Sua esposa, a obstetra Leânia Carvalho, passa bem e seu estado é considerado fora de perigo.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas