Prefeito de Curimatá teme vinganças e cidade recebe reforço policial imprimir publicado em: 14 / 11 / 2017

curimata

Grupamento da PM de Curimatá recebeu reforços (Foto: Divulgação/CCOM)

O prefeito Valdecir Junior de Curimatá, 775 km de Teresina, informou que a cidade recebeu reforço policial para tentar inibir tentativas de vingança após o assassinato da adolescente Auricelia Matias Lopes, de 17 anos, na noite de domingo (12). Segundo o prefeito, o clima é de pânico e o reforço permanecerá na cidade até que a situação normalize.

O município possui pouco mais de 10 mil habitantes e, de acordo com o gestor, as famílias tanto de Auricelia quanto do suspeito do crime são numerosas e há o temor de que se inicie uma onda de retaliações.

“Ele deve e vai pagar pelo crime, mas não podemos deixar que pessoas inocentes paguem pelo que aconteceu. O que houve foi uma grande tragédia, a vida e os sonhos de uma jovem estudiosa foram interrompidos. Eu fiz isso pensando em evitar que algo pior aconteça, pensando em dar uma resposta e tranquilidade à sociedade”, explicou Valdecir.

O prefeito disse ainda que falou diretamente com o governador Wellington Dias e com o comandante da Polícia Militar, Coronel Carlos Augusto Gomes, que segundo ele prontamente atenderam o pedido.

“São pelo menos mais 10 policiais que já estão na cidade reforçando a segurança e que ficarão aqui por tempo indeterminado, até que tudo volte à normalidade”, disse.

A adolescente Auricelia Matias Lopes, de 17 anos, foi morta com um tiro na cabeça dentro de um bar na madrugada do domingo (12). De acordo com a Polícia Militar, ela estava ajudando o tio que é proprietário do estabelecimento, quando um dos clientes teve um desentendimento com ele, saiu do local e retornou armado efetuando disparos. Ela foi atingida e morreu no local. O suspeito ainda está foragido.

Portaldaclube


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas