Prestes a aparecer nua, Julia Dalavia diz como mudou o corpo imprimir publicado em: 07 / 08 / 2016

JuliaQuando terminar de gravar “Justiça”, minissérie que estreia no próximo dia 22, Julia Dalavia já sabe o que priorizar. A atriz de 18 anos, que encarou o novo trabalho logo após viver a Maria Tereza da primeira fase de “Velho Chico”, quer voltar às aulas de balé e de muay thai.

— Pratico dança desde pequena. Sabe aquela atividade para a qual você está sempre indo e voltando? Mas foi com a luta que senti mais transformações no meu corpo — afirma ela, adepta de um circuito, que, além de socos e pontapés, inclui centenas de abdominais, corrida e corda: — Descarrego tudo, e saio do treino morta.

No papel de uma prostituta, Julia aparecerá na telinha três quilos mais magra e com o visual completamente repaginado. Os fios compridos e escuros deram lugar a madeixas louras na altura do ombro. E a perda de peso é atribuída à ausência de exercícios físicas e a uma alimentação malcuidada nos últimos tempos.

— Emagreci por causa da correria em função do trabalho. Não planejei, mas foi bom para a personagem. Tento comer bem, mas ultimamente tenho caído em tentações. Sou viciada em hambúrguer — confessa ela, que mede 1,60m e está com 46kg.

Outra atividade da rotina da beldade é a musculação, que a atriz costuma fazer três vezes por semana.

— Quando estou malhando direitinho, tenho mais vontade de comer de forma saudável. Acho que uma coisa puxa a outra. Não quero ficar fortona, mas gosto de sentir o braço durinho — diz a carioca, que conta com a ajuda da mãe na hora de manter a dieta: — Ela evita frituras e prepara saladas, sopas e alimentos integrais.

Para viver Mayara — uma garota de programa que vai trabalhar numa sauna com a intenção de se vingar da prisão da mãe, Fátima (Adriana Esteves) —, Julia diz que evitou clichês, buscando inspiração na atuação de Nastassja Kinski, no longa “Paris Texas”:

— O corte e a cor do cabelo, por exemplo, foram uma referência que peguei dela. Eu me sinto mais poderosa assim, chama atenção mesmo. E, quando coloco o figurino, já entro na vibe.

Apesar da pouca idade, ela encara com naturalidade as cenas de nudez. Nem a necessidade de usar um tapa-sexo em cenas mais quentes parecem ter tirado o foco da atriz:

— Quando aceitei o papel, deixei a vergonha de lado. Não foi uma opção minha usar tapa-sexo. Foi uma decisão da produção. Não incomoda, foi tranquilo. Fiquei um pouco nervosa antes de gravar, mas na hora fiquei calma. Sempre soube que seria de bom gosto.

Extra Online


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas