Rachaduras em pista do aeroporto de Teresina podem ter causado acidente imprimir publicado em: 05 / 08 / 2014

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) divulgou o resultado da investigação sobre um acidente no qual o pneu do trem de pouso dianteiro estourou, fazendo com o mecanismo fosse recolhido sem o acionamento do sistema pelo piloto, fato ocorrido no dia 26 de agosto de 2013. O documento afirma que pilotos e aeronave estavam documentados e em perfeito estado de voo, e que rachaduras na pista de pouso pode ter contribuído para o recolhimento forçado do trem.

aviao

Avião de pequeno porte quebra e pista do aeroporto
de Teresina fica interditada

“Foi observado que a cobertura asfáltica de SBTE se encontrava em processo de deterioração, apresentado diversas rachaduras. Algumas delas com, aproximadamente, um metro de comprimento e dez centímetros de largura, outras, com desprendimento de fragmentos. Este cenário leva a crer que a situação possa ter contribuído para a deficiente rolagem do pneu de nariz, tendo como consequência a elevação da intensidade da força que levou ao recolhimento forçado do referido trem de pouso”, afirmou o documento.

No tópico cinco do relatório, intitulado “ações corretivas, o Cenipa afirma que orientou a administração do aeroporto, bem como sua coordenadoria de segurança operacional, quanto ao risco oferecido pela situação em que se encontra a cobertura asfáltica da pista. “Precisamente no que tange à iminente  possibilidade  de soltura de fragmentos e posterior ingestão dos mesmos pelos motores das aeronaves”, diz o tópico.

Por fim, o documento recomenda ao operador do aeroporto, “que   se adote  as medidas necessárias para a recuperação  das condições da pista de pouso e decolagem, com a maior brevidade possível, particularmente no que se refere à sua cobertura asfáltica”, finalizou o relatório.

Sobre as recomendações do Cenipa, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) esclarece que a pista do Aeroporto de Teresina está homologada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para receber pousos e decolagens de aeronaves. Além disso, a Infraero informou que realiza todos os serviços de manutenção previstos nas normas da aviação civil.

“Quanto à recomendação do Cenipa, a Infraero destaca que já fez licitação para contratar os serviços indicados no relatório e que, no momento, a empresa está definindo o planejamento para execução dos trabalhos”, disse a empresa por meio de nota.

Entenda o caso
No dia 26 de agosto de 2013, um avião modelo AC690 sofreu um acidente quando quando efetuava a corrida para a decolagem. A aeronave havia percorrido 800 metros da pista quando o pneu do trem de pouso dianteiro estourou e o mecanismo foi recolhido forçadamente. O avião ainda arrastou o bico por cerca de 50 metros. Com isso a pista foi interditada por cerca de uma hora, fato que atrasou alguns voos do dia.

Portaldaclube

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas