Repasse para programas de atenção básica atrasa até 60 dias, diz CNM imprimir publicado em: 13 / 08 / 2016

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) apontou que 74% dos municípios brasileiros vêm recebendo recursos para a atenção básica na área da saúde com uma média de 30 a 60 dias de atraso. De acordo com a CNM, nesse período, são os municípios que precisam arcar com a integralidade dos programas para que eles continuem realizando atendimentos a população.

“O atraso demonstra que a Saúde não tem recebida a devida atenção do governo federal. Nos últimos anos, a entidade municipalista tem destacado os efeitos da crise sobre os cofres municipais. O que se nota é um acúmulo de responsabilidades que não acompanha o recebimento dos recursos federais. Para piorar a situação dos milhares de prefeituras brasileiras, há um atraso no envio dos valores de custeio dos programas”, pontua a nota técnica da CNM.

Segundo o levantamento da entidade, os programas mais atingidos são o Estratégia Saúde da Família (ESF), Núcleo de Apoio à Estratégia Saúde da Família (Nasf) e Centros de Especialidades Odontológicas (CEO), que são financiados através de recursos dos Municípios e da União.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Vale

últimas