Ronda Rousey: luta contra Amanda Nunes “é uma das minhas últimas” imprimir publicado em: 01 / 11 / 2016

ronda rouseyRonda Rousey vai voltar ao octógono em 30 de dezembro contra Amanda Nunes, no UFC 207, após mais de um ano afastada das lutas. Mas não se acostume: a ex-campeã do peso-galo do Ultimate não pretende estender sua carreira no MMA muito além da disputa do cinturão contra a Leoa baiana. A lutadora americana afirmou nesta terça-feira que está perto de aposentar as luvas.

– Não (vou continuar) por muito tempo, eu estou encerrando (a carreira). Essa é certamente uma das minhas últimas lutas. Quero que todos assistam, pois o show não vai durar para sempre – avisou Rousey, em entrevista ao programa de variedades “The Ellen Show”.

Apesar de ter apenas 29 anos de idade, Ronda já compete nas artes marciais desde a infância, como judoca. Ela foi a primeira americana a conquistar uma medalha olímpica no judô, um bronze em Pequim 2008. Em seguida, abandonou o quimono e fez a transição para o MMA, no qual permaneceu invicta até sua 13ª luta profissional. Pelo caminho, repleto de vitórias por finalização com sua posição favorita, a chave de braço, se tornou campeã peso-galo no finado Strikeforce, foi a primeira lutadora a assinar contrato e lutar no UFC e ganhou oportunidades como atriz no cinema, em filmes como “Os Mercenários 3” e “Velozes e Furiosos 7”.

Ronda Rousey sofreu sua primeira derrota em novembro de 2015, ao ser nocauteada por Holly Holm em revés que a custou também o cinturão, hoje nas mãos de Amanda Nunes. A americana confessou que a decepção a fez contemplar suicídio, e demorou a retornar aos treinos. Contudo, ela disse que o que motiva seu desejo de se aposentar logo é o cansaço acumulado por inúmeros camps de treinamento para as lutas.

– Acho que é mais a preparação que é mais cansativa. Se eu tivesse uma luta neste instante, eu lutaria agora, iria jantar, e não ficaria tão cansada. São as semanas e semanas de preparação antes, você vai enfrentar essa pessoa, é um confronto, a coisa mais importante na sua vida inteira, milhões de pessoas estão assistindo… É essa expectativa por semanas sem fim, se acontecesse agora eu nem estaria nervosa. O pior são as semanas de espera – explicou.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas