Servidor da Sesapi é preso suspeito de estuprar jovem de 15 anos imprimir publicado em: 11 / 10 / 2016

dpca

O chefe de investigação da DPCA, Pedro Júnior, explica que conversas em redes sociais indicam o crime

Um funcionário comissionado da Secretaria Estadual de Saúde foi preso, nesta terça-feira (11), suspeito de estuprar um garoto de 15 anos em Teresina. Ele foi preso por policiais da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA).

Francisco Pinheiro Lima Júnior, 62 anos, é suspeito de abusar sexualmente do adolescente. A mãe do jovem procurou a DPCA após desconfiar do aliciamento.

O chefe de investigação da DPCA, Pedro Júnior, disse que o sigilo do Facebook do suspeito foi quebrado e mensagens que comprovam o aliciamento foram encontradas.

“Temos os prints das mensagens entre o suspeito e o menor. Além da relação com este adolescente, outras conversas com outros menores também foram encontradas supondo uma possível exploração sexual”, conta o chefe de investigação.

As investigações apontam que o suspeito aliciava o menor de julho de 2015 passado até o final do mês de setembro deste ano.

“A mãe desconfiou porque professores da escola onde o menor estuda contaram que um senhor estranho estava indo buscar o aluno constantemente na instituição escolar, na zona norte”, acrescenta o chefe de investigação.

O servidor da Sesapi, foi preso dentro de sua residência, localizado no bairro Saci, na zona Sul. O notebook do suspeito foi apreendido e será periciado.

A prisão preventiva foi decretada pelo juiz da Central de Inquéritos, Luiz Moura Correia.

O menor foi submetido a exames, mas o laudo foi inconclusivo para estupro. A investigação acredita que o resultado foi esse por conta do intervalo de tempo em que a análise foi feita.

Os policiais colheram o depoimento do suspeito e na oitiva ele declarou ser inocente.

A assessoria da Secretaria Estadual de Saúde informou que Francisco Pinheiro Lima Júnior presidiu a Comissão de Licitação do órgão, mas desde o ano passado não exerce mais a função.

Atualmente, trabalhava como servidor comissionado no Hospital do Mocambinho, na parte administrativa.

A assessoria informou ainda que a Sesapi abrirá processo administrativo para apurar o caso.

Cidadeverde.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Vale

últimas