Sindicato vê presença de facção em presídio no Piauí; governo nega imprimir publicado em: 11 / 01 / 2017

custodiaUm estatuto do Primeiro Comando do Capital (PCC) e manual informando como ocorre ritual de batismo na facção foram encontrados dentro da Casa de Custódia em Teresina durante vistorias de rotina. A informação é Vilobaldo Carvalho, da diretoria do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi). O Secretário de Justiça, Daniel Oliveira, declarou que desconhece a existência de membros de grupo rivais dentro do sistema prisional do Piauí.

 “Já encontramos dentro das celas o estatuto do PCC e informações sobre batizado nas áreas. Por isso questiono o secretário ao negar a existência destes grupos. Acredito que seja melhor dizer que eles existem e que são monitorados”, falou Vilobaldo.

Daniel Oliveira também negou a informação divulgada pela imprensa nacional de que o Piauí está entre os cincos estados dos Nordeste onde há risco de conflitos violentos envolvendo facções do crime.

“Não sei de onde partiu esta informação que estamos com risco iminente de rebeliões. Também não temos membros de facções em nossos presídios, mas mesmo assim reforçamos os protocolos de segurança após as chacinas em Roraima e no Amazonas”, disse o secretário.

As declarações foram dadas durante uma reunião com instituições do sistema de justiça na terça-feira (10). O encontro ocorreu na sede da Escola de Formação Penitenciária e conforme o secretário de justiça, Daniel Oliveira, o encontro tinha como objetivo tratar sobre o Protocolo de Segurança Prisional estabelecido pelo órgão.

O Piauí, segundo o levantamento do G1, é o que tem o maior percentual de presos sem condenação no sistema prisional: 65%, ou 2,7 mil de 4,2 mil detentos. Para o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí, a superlotação nas unidades prisionais aliada à falta de estrutura física desses espaços chega a ser uma “bomba-relógio” para o sistema, aumentando em potencial o risco de fugas e rebeliões.

“O objetivo principal da reunião é, ao promover e incentivar a atuação conjunta das instituições ligadas ao sistema penitenciário, debater temas e fazer encaminhamentos que proporcionem medidas voltadas à solução de questões do setor”,destacou.

Também foram discutidos o reforço nas equipes de agentes penitenciários e policiais militares, vistorias e revista, monitoramento, inteligência e proteção externa, bem como outros assuntos ligados à administração e manutenção do sistema prisional.

Portaldaclube


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas