Uber busca arbitragem em disputa de carro autônomo com dona do Google imprimir publicado em: 17 / 03 / 2017

UberUm advogado da Uber disse a um juiz federal nesta quinta-feira (16) que pretende registrar uma petição para forçar a arbitragem no caso da acusação de roubo dos segredos comerciais da Waymo, empresa de carros autônomos da Alphabet, dona do Google. Ele cita um acordo assinado por um antigo funcionário da Waymo, que está no centro do caso.

A Waymo processou a Uber no mês passado, alegando que a empresa roubou segredos comerciais e usou-os para expandir rapidamente seu programa de veículo autônomo.

Na primeira aparição das partes diante do juiz William Alsup, em San Francisco, o advogado da Uber, Arturo Gonzalez, disse que um acordo de trabalho assinado por Anthony Levandowski enquanto era empregado na Waymo tem uma “disposição de arbitragem muito ampla” que deveria ser usada. Levandowski agora trabalha para a Uber.

A arbitragem é um processo privado e uma maneira mais rápida e menos dispendiosa de resolver disputas do que ir a julgamento. Em uma arbitragem, o caso é ouvido por um árbitro escolhido mutuamente acordado pelos dois lados. O árbitro tem a autoridade para tomar uma decisão, e em geral, não pode haver apelação da decisão do árbitro.

Em seu processo, a Waymo disse que antes de deixar a empresa, Levandowski baixou mais de 14 mil documentos confidenciais sobre o trabalho da Waymo no Lidar, um sensor importante usado em tecnologia de direção autônoma.

Ao discutir como o pedido de uma liminar da Waymo para impedir o Uber de usar a tecnologia contestada pode ser afetado por uma moção para arbitragem, o juiz disse a Gonzalez: “Este não é um movimento frívolo”.

“Vocês não recebem muitos casos em que há uma prova bastante direta de que alguém baixou 14 mil documentos e saiu no dia seguinte”, disse Alsup.

Gonzalez explicou a intenção de buscar a arbitragem dizendo: “Não sei se o tribunal se perguntou por que os indivíduos [mencionados na queixa] não são réus. Aqui está a resposta, porque há um acordo de trabalho que tem um ampla arbitragem”.

“Nós pretendemos registrar a permissão para pedir a arbitragem dentro de duas semanas”, disse Gonzalez.

O advogado da Waymo, Charles Verhoeven, confirmou que Levandowski assinou um acordo que incluía disposições de não divulgação.

Reuters


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas