Vereador vai denunciar ex-prefeito por invasão de domicilio e ameaça imprimir publicado em: 24 / 01 / 2017

Prefeito de Barras, Edilson Capote

Prefeito de Barras, Edilson Capote

O vereador José da Costa Rego (PSD), mais conhecido como Zé Pezinho, do município de Barras, vai registrar Boletim de Ocorrência contra o ex-prefeito de Barras, Edilson Sérvulo de Sousa, o “Capote”, por invasão a domicilio, agressão e ameaça.

De acordo com informações do portal Longah.com, o funcionário público Eudes Raulino de Almeida Neto, presenciou o fato ocorrido na noite do sábado (21), quando recebeu um telefonema para ir até a casa do vereador, no bairro São Cristóvão, em Barras. Ao chegar, Eudes encontrou o ex-prefeito acompanhado de quatro homens ao redor de Zé Pezinho, que estava em uma cadeira.

“Quando tomei pé da situação, vi que meu amigo [Zé Pezinho] sendo cobrado pelo grupo o dinheiro que o ex-prefeito teria dado a ele durante a campanha para ajudar na sua eleição. Zé estava muito nervoso e pediu que eu saísse para ver se conseguia o dinheiro emprestado com alguém”, conta Eudes ao portal Longah.com.

Vereador Zé Pezinho

Vereador Zé Pezinho

Eudes diz que saiu em busca de um senhor chamado Valdivino, que poderia emprestar o dinheiro para o vereador. “Valdivino foi comigo na casa de Zé Pezinho, mas foi agredido verbalmente pelo ex-prefeito apesar de ser eleitor dele e, por isso, foi embora. A polícia chegou a ir lá, mas não ficou muito tempo. A esposa de Zé Pezinho, que é evangélica chegou da igreja e ficou apavorada com a cena que encontrou”, comenta Eudes.

Segundo Eudes, o motivo da ira do ex-prefeito é o fato de Zé Pezinho não ter votado no candidato a vereador apoiado por Capote para presidência da Câmara Municipal de Barras.

“Apesar do candidato do ex-prefeito ter sido eleito, ele ainda guardou rancor do vereador. Capote estava transtornado. Eu confesso que tentei reagir as agressões dele, mas os amigos que andavam com ele me seguraram e não deixaram eu bater nele. Acho que ele está inconformado porque perdeu a eleição”, relata Eudes Raulino.

Por fim, o funcionário público lamentou e achou o ato covardia porque o vereador tem deficiência física. “Ele recebeu ameaça de morte de um dos amigos do ex-prefeito que atirou, inclusive, uma cadeira em Zé Pezinho. Eu também fui ameaçado pelo prefeito e pelos amigos dele”.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas