Wellington convoca líderes contra ameaça de intervenção militar imprimir publicado em: 04 / 04 / 2018

DiasO governador Wellington Dias (PT) reagiu às polêmicas declarações do general de Exército da reserva Luiz Gonzaga Schroeder Lessa. O militar defendeu intervenção militar quase o Supremo Tribunal Federal (STF) conceda habeas corpus ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em entrevista, o general afirmou que a atuação do Exército seria a única solução para o país. “Se acontecer tanta rasteira e mudança da lei, aí eu não tenho dúvida de que só resta o recurso à reação armada. Aí é dever da Força Armada restaurar a ordem. Mas não creio que chegaremos lá. Nosso objetivo principal nesse momento é impedir mudanças na lei e colocar atrás das grades um chefe de organização criminosa já julgado e condenado a mais de 12 anos de prisão que, com o respaldo desse supremo fortim (o STF), tem circulado livre e debochadamente por todo o território nacional, contando mentiras, pregando o ódio e a luta de classes”, declarou.

De Brasília, onde acompanha o julgamento, Wellington usou as redes sociais para convocar os líderes em defesa da democracia. Ele alertou para o perigo à democracia e o retrocesso que as palavras do general podem significar para o país.

“Um general do Exército ameaçar, com todas as letras, fazer uma intervenção militar: ou seja, se o STF cumprir o artigo 5º da Constituição Federal, haverá tumulto e anuncia que intervenção é a solução? E parece tudo normal? Não. Líderes do Brasil: é hora da serenidade e de juntar forças pela defesa da democracia”, afirmou.

Wellington Dias voltou a defender a inocência do ex-presidente e disse que ele foi vítima de ataques dos mais ricos. O governador destacou a necessidade de Lula disputar a eleição de outubro para que o povo possa decidir se ele merece ou não ser mais uma vez presidente do Brasil.

carta

Cidadeverde.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas