Wellington Dias empossa novos secretários em solenidade no Karnak imprimir publicado em: 06 / 03 / 2017

O governador Wellington Dias (PT) empossou nesta segunda-feira (6), em solenidade no Palácio do Karnak, o deputado Zé Santana (PMDB) na Secretaria da Assistência Social e Cidadania (Sasc), no lugar de Henrique Rebelo (PT) e Castro Neto (PMDB) no Departamento de Estradas de Rodagem do Piauí (DER-PI) no lugar de José Dias. A solenidade foi bastante prestigiada por autoridades políticas.

Além de apoiar oficialmente o governo, o PMDB também fechou apoio a reeleição de Wellington Dias em 2018. Themístocles Filho destacou que a aliança entre os dois partidos é antiga e o partido quer ajudar na gestão do governador. “Há dois anos o PMDB dá apoio parlamentar e administrativo ao governador Wellington Dias sem participar de cargo no governo. O governador convidou o PMDB para participar, o PMDB aceitou o convite e estamos entrando para ajudar o governador. Cada secretário tem a obrigação de ajudar no desenvolvimento do estado do Piauí”, disse o deputado Themístocles Filho.

Themistocles Filho

Themistocles Filho

O presidente estadual do PMDB, Marcelo Castro, afirmou que a aliança entre os partidos é forte. “O PMDB vai entrar com toda a força. Já estamos dando toda a força na Assembleia, aprovando as matérias do governo e agora vamos participar da gestão do governador Wellington Dias, ajudando em tudo que for possível. Esse projeto que começou em 2002, o PT e o PMDB estavam juntos. Só estivemos separados de 2015 para cá”, afirmou.

Marcelo Castro

Marcelo Castro

Empossados

O advogado Zé Santana assume a Sasc e afirmou que ainda precisa conhecer os programas e ações implementadas na secretaria. “A gente precisa primeiro chegar lá e tomar conhecimento de como a situação se encontra. Fazer de tudo para os programas que já existem e ampliando ainda mais esse projetos para se ter um bom resultado na assistência social e na cidadania”, afirmou.

Zé Santana destacou ainda a importância da aliança entre os partidos.”Parabenizo o governador pelo sentimento democrático e pela visão de futuro em colocar o Piauí acima da política partidária. Elevando seu poder agregador que agora passa a contar também com a força do PMDB em seu governo. Nós representamos o nosso partido e a nossa vontade de contribuir de maneira positiva e relevante para o melhor tramite das soluções que o estado carece e que muitas vezes esbarram na falta de diplomacia e de relações políticas”, disse. 

Zé Santana

Zé Santana

Castro Neto, filho do deputado Marcelo Castro, já foi secretário estadual de Infraestrutura e agora assume o DER-PI. Em seu discurso, Castro Neto se emocionou ao falar de seu novo desafio. “É uma alegria muito grande e satisfação maior ainda de ser o DER, que é responsável pela manutenção e construção de nossas estradas estaduais. É uma responsabilidade muito grande. Entre as obras em andamento temos o elevado da Miguel Rosa, a construção de BRs e a Transcerrados. É impossível, em nosso Estado do Piauí, falar estradas de boa qualidade sem falar do governador Wellington Dias. Fico muito orgulhoso de vir para o DER, assumir e vestir a camisa e de encarar de frente com muita vontade esses novos desafios que estão a vir ”, destacou.

Além deles, o PMDB terá mais duas indicações, o advogado Leonardo Sobral irá para a diretoria do Programa de Combate à Pobreza Rural (PCPR) e o deputado Pablo Santos (PMDB) para a Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (FEPISERH), mas eles só assumem após aprovação na Assembleia Legislativa de projetos de lei criando os órgãos.

Insatisfação com aliança

Alguns membros do PMDB estão insatisfeitos com a aliança. Um dele é o presidente nacional do Sesi, João Henrique de Almeida Sousa, que já se manifestou contra esse acordo e já anunciou o interesse em disputar o governo estadual em 2018.

“O PMDB é democrático, tem divisão em outros estados, isso é natural. Em cada estado segue o rumo que deseja. No passado, o João Henrique desejou ser o vice do Wellington, ele até concorreu e perdeu na convenção para ser vice, quem ganhou foi o Mão Santa naquela época, então isso é natural. O estatuto do PMDB dá o direito dele pleitear, então vejo isso com naturalidade, mas acredito que a ala majoritária, muito mais de 80% segue esse rumo [da aliança], até porque é um rumo que a população está aprovando”, disse.

João Mádison também comentou essa situação e afirmou que “estamos tranquilos. Existem divergências, mas quero tranquilizar que 80% é a favor desse diálogo com o PT. Temos cinco deputados estaduais e um federal. Então respeitamos a posição do João Henrique e da deputada Juliana, mas em uma convenção ganhamos disparados”.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas