Wellington vai se reunir com ministro do TCU para discutir decisão imprimir publicado em: 03 / 05 / 2018

DiasO governador Wellington Dias vai se reunir com o ministro José Múrcio Monteiro, do Tribunal de Contas da União (TCU) para tratar da decisão que suspendeu o repasse dos valores referentes aos empréstimos firmados junto à Caixa Econômica Federal . Questionado sobre que medidas o Estado irá tomar para reverter a situação, Dias disse apenas que se trata de uma medida provisória e que a decisão do ministro Edson Fachin, continua valendo.

“Foi uma medida provisória, é bom reconhecer. E de um lado nós temos uma decisão da mais alta instância dos litígios brasileiros, que é o STF, uma decisão da ministra Carmen Lúcia e uma decisão posterior do ministro Fachin, que já começam a tratar a não liberação dos recursos como crime de desobediência. A decisão do Supremo não foi alterada pela medida do TCU”, disparou Wellington Dias.

A decisão do STF a que o governador se refere foi proferida no último dia 24, quando o ministro Edson Fachin determinou que a Caixa Econômica liberasse, dentro do prazo de 72 horas, o montante de R$ 315 milhões referentes a uma operação de crédito firmada entre o agente financeiro e o Estado sem o aval da União.

Wellington Dias volta a falar em perseguição da oposição

O governador Wellington Dias (PT) também voltou a afirmar que a demora e a burocracia para a liberação do empréstimo faz parte de um trabalho da oposição para impedir que o dinheiro chegue ao Estado. O chefe do executivo estadual garante que todo o processo está dentro da legalidade. “Eu fico imaginando se todos esses esforços se fossem para trazer o dobro de recursos que o Piauí precisa”, declarou.

O governador disse ainda que recebeu um empréstimo de R$ 307 milhões e prestou conta de R$323 milhões, com o objetivo, segundo Wellington Dias, de antecipar a realização das obras com o recurso. “As obras foram feitas, foi prestado conta, eu acho que vamos cumprir como fizemos nas outras instâncias em relação às novas instâncias. Isso ninguém fala porque, enquanto alguns atuam para impedir investimento, eu estou trabalhando todos os dias”, pontuou.

O deputado Rodrigo Martins (PSB) rebateu as informações e afirmou que “quem está sendo responsável pela não vinda da segunda parcela não é a oposição, é o governo quando ele desvia os recursos daquelas obras”. O parlamentar também continua declarando que os recursos já liberados não foram aplicados devidamente.

“O governo mente. É muito fácil jogar a culpa nos outros. Seria possível um parlamentar de oposição, como eu que não tenho nenhum tipo de indicação politica na Caixa econômica Federal, não participação de nenhum ministro do TCU e nem do Supremo, sozinho está fazendo essa mentira ser verdadeira. O dinheiro desapareceu”, ressaltou Rodrigo.

portalodia.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas