Wilson Martins pede auditoria nas Secretarias de Justiça, Sasc e Administração imprimir publicado em: 22 / 08 / 2011

A Controladoria Geral do Estado está fazendo auditorias em três secretarias estaduais. A auditagem atinge a Secretaria de Justiça, Secretaria de Administração e Secretaria Estadual de Assistência Social e Cidadania (Sasc). O trabalho foi provocado por ofícios expedidos pelos titulares das pastas ou por determinação do governador Wilson Martins.

De acordo com Darcy Siqueira Albuquerque Júnior, gerente de auditoria da CGE, os resultados das auditorias ainda não podem ser revelados, já que ainda decorre o prazo de 30 dias para o direito a defesa. “Decorridos os prazos, o relatório será encaminhado aos titulares das respectivas secretarias, para o governador e também para o Tribunal de Contas do Estado (TCE)”, explicou.

O trabalho mais recente é o que envolve uma auditoria na folha de pagamento do Estado. A solicitação para a realização dos trabalhos foi feita pelo secretário Paulo Ivan por meio de oficio expedido à CGE. “Estamos fazendo uma varredura para verificarmos se os códigos constantes na folha de pagamento têm fundamentação legal”, explicou Darcy Siqueira, acrescentando que a constatação de que havia cerca de 500 servidores estaduais que recebiam a mais que o governador já é um resultado da auditoria. Em todos os relatórios elaborados pela CGE, o órgão apresenta sugestões de medidas que venham a sanar as irregularidades encontradas.

O secretario Paulo Ivan ressaltou que o pedido de auditoria é “um mero ato de controle”. “Não é um fato extraordinário é um mecanismo de aprimoramento do controle. Não foi detectada nenhuma irregularidade”, garantiu. O mesmo não se pode dizer em relação à auditoria feita na Secretaria de Justiça. O gerente de auditoria Darcy Siqueira destacou que foram encontradas irregularidades no órgão, mas explicou que as mesmas ainda não podiam ser reveladas por ainda decorrer o prazo dado para a apresentação das justificativas.

O advogado Lúcio Tadeu, que é presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB, destacou que há muitas irregularidades na Segurança Pública, e que a maioria delas se refletem as obras inacabadas do Sistema Prisional. “na Casa de Custódia e na Major César, por exemplo, há verdadeiros elefantes brancos”, denunciou.

portalodia.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas