Após depredação, Prefeitura reforça a segurança em estações imprimir publicado em: 28 / 04 / 2017

Um dia após os testes nos novos pontos de ônibus de Teresina, uma das estações localizadas na avenida Henry Wall de Carvalho foi alvo da ação de vândalos que quebraram alguns dos vidros das portas de acesso. Outra estação localizada na avenida Miguel Rosa, também na zona Sul da capital, teve parte de sua estrutura pichada com palavras de ordem contra o prefeito de Teresina, Firmino Filho.

estacao

Coronel Jaime Oliveira, diretor de operação e fiscalização da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), esteve na manhã de ontem visitando estes locais e informou que as providências já estão sendo tomadas. Nos dois casos foram cometidos dano qualificado contra o patrimônio público do inciso terceiro do artigo 163 do código penal com pena de detenção de seis meses a 3 anos mais uma multa.

O coronel destaca ainda que a Strans já se descolou até o 3° Distrito Policial realizar o boletim de ocorrência e que já entrou em contato com a Polícia Militar para solicitar segurança na área. “Já vamos falar com o comandante-geral para pedir um reforço na área e em caso de flagrante encaminhá-lo para a delegacia. Nossos agentes também ajudarão nesse sentido de reforçar a vistoria nos locais”, disse.

Boa parte das novas estações, que fazem parte do plano de modernização do transporte público de Teresina, já estão na reta final e têm gerado debates entre os usuários, uns são a favor e outros temem que o novo sistema não funcione adequadamente. “Eu acho que a teoria é muito boa, o projeto realmente é interessante, mas na prática ainda há muito o que se fazer, precisa renovar e aumentar a frota de ônibus, oferecer curso de capacitação para os motoristas, pois muitos ainda são bastante imprudentes, e aumentar o rigor na segurança dentro do coletivos, pois hoje os assaltos acontecem direto”, comenta a servidora pública Isa Araújo.

parada de onibus

Outros temem que a segurança nas estações não seja eficaz. “Minha preocupação é saber se vai ter guarda nesses pontos, porque ficar sozinha ali dentro pode ser perigoso sem falar nos atos dos vândalos. Eu fico temerosa também na hora de atravessar até a estação, fico com medo de acidentes”, pontua a dona de casa Márcia Alves.

A Strans informa ainda que o valor investido é em média de R$ 40 milhões  por cada um dos 5 corredores (Kennedy, Gil Martins, Barão de Gurguéia, Miguel Rosa e João XXIII) que incluem obras na pista, acessos e estações de embarque. No total serão 56 estações em toda cidade.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

últimas