Estado intensifica combate ao Aedes em São Raimundo Nonato imprimir publicado em: 04 / 07 / 2017

srnA Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e Secretaria Municipal de Saúde de São Raimundo Nonato estão com ações conjuntas para investigar e combater o aumento repentino de casos notificados de dengue e chikungunya no município, detectado na 25ª Semana Epidemiológica que abrange o período de 16 a 24 de junho.

Os registros de chikungunya passaram de 44 casos, na 24ª semana, para 70, na 25ª, um acréscimo de 36 notificações, o que corresponde a 59%. Com relação à dengue, os casos passaram de 84 para 102, com 18 casos a mais, correspondendo 21,4% de avanço com relação à semana anterior.

Nos próximos dias, uma série de ações será desenvolvida pelas secretarias no intuito de reduzir esses índices. “Durante toda essa semana, o município realiza mutirões de coleta de lixo, orientados por profissionais da saúde. Na quinta-feira (6), realizaremos uma capacitação para cerca de 70 profissionais de saúde com técnicos da coordenação de vigilância epidemiológica”, disse Miriane Araújo, gerente de Vigilância em Saúde.

Na sexta-feira (7), será realizada audiência pública, com a presença de representante do Ministério Público, para que sejam discutidas, junto com a população, as medidas cabíveis. “Serão abordados, por exemplo, o ciclo biológico do vetor, as medidas preventivas, os principais sinais e sintomas da doença, todos esses pontos para que a população tenha consciência desses agravos”, disse a gerente.

Outras medidas, já tomadas, foram o alerta aos profissionais de saúde do município com relação à notificação dos novos casos, encaminhamento de uma equipe da epidemiologia para orientar todas as unidades de saúde para a importância das ações e liberação da borrifação nos principais bairros que apresentaram os índices alterados das doenças.

O secretário Municipal de Saúde de São Raimundo Nonato, Jussival Júnior, disse que o município está em situação de alerta “e o material colhido na população infectada foi enviado para análise do Laboratório Central do Estado e a secretaria está se mobilizando com todos os postos de saúde da zona urbana, os agentes de endemias e os profissionais do Programa Saúde da Família, em parceria com as secretarias de Infraestrutura e Educação para reverter essa situação”.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Biocentro

últimas