Firmino diz que Aegea será cobrada para melhorar serviços imprimir publicado em: 17 / 07 / 2017

FirminoO prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), afirmou que a empresa Aegea Saneamento e Participações S/A  – que venceu a licitação para administrar o abastecimento de água e esgoto da capital – terá um prazo para mostrar serviço. Firmino disse que torce para que a empresa cumpra com os compromissos assumidos e caso contrário o debate da municipalização será retomado. 

“A gente quer o melhor para a cidade e essa foi a alternativa colocada pelo governo do Estado. Desejamos que possa ser bem sucedida, porque Teresina está precisando. Eventualmente a gente pode pensar na municipalização, mas daremos um prazo para que a empresa possa mostrar sua capacidade ou não. Se a empresa não tiver capacidade aí voltamos a discutir a possibilidade da prefeitura retomar os serviços. Mas vamos esperar primeiro que a empresa seja testada”, afirmou o prefeito.

No início do mês, o Instituto de Águas e Esgotos do Piauí e Agespisa, repassaram os serviços de abastecimento de água e tratamento de esgoto da capital para a empresa Águas de Teresina (Grupo Aegea). O contrato tem prazo de 31 anos e vai até 2048. Ele prevê investimentos de R$ 1,7 bilhão  e a garantia de 100% de cobertura de abastecimento de água e esgoto na capital.

Firmino Filho disse que a Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos de Teresina (Arsete) vai acompanhar mais de perto para exigir o cumprimento do contrato.

“Institucionalmente a Arsete vai cobrar o contrato realizado entre a prefeitura e Agespisa que agora foi repassado para a essa empresa privada. A agência vai intensifica as fiscalizações porque a gente espera que a empresa privada tenha mais capacidade de reagir às cobranças da prefeitura”, disse.

“A gente deseja que o problema do abastecimento de água esgoto de Teresina seja resolvida”, ressaltou Firmino Filho.

Crise financeira

O corte nas despesas é uma vigilância constante, segundo Firmino Filho. Ele lembrou que este ano a expectativa era de melhoria na economia, mas a situação se agravou.

“Existia a perspectiva de melhora, mas com a delação da JBS houve uma ducha de água fria no mercado e a perspectiva é de uma estagnação ou crescimento pouco significativo, mas é necessário que possamos continuar a ser otimista para que as coisas melhorem”, ressaltou Firmino Filho.

 

Cidadeverde.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Esporte

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas