Menor que matou psicóloga é ‘psicopata’, diz delegado Barêtta imprimir publicado em: 03 / 07 / 2017

O sobrinho suspeito de matar a tia, a psicóloga Joaquina Maria Pereira de Barros, já foi ouvido pela Delegacia de Homicídios. Em depoimento, o menor infrator demonstrou mágoa e frieza e revelou a Polícia Civil que cortou o pescoço da vítima para acabar com o sofrimento dela. Para o delegado, Francisco Costta, o Baretta, o investigado tem características de um psicopata e premeditou o crime.

“Ele não é louco, é um psicopata. É uma pessoa que vive normalmente no seio da sociedade, mas têm tendência a práticas criminosas. Ele pegou a vítima de surpresa, deu um mata leão… a mulher desfaleceu e ele enrolou o fio de telefone no pescoço dela, tentando estrangulá-la. A vítima acordou, ficou se debatendo…Então, ele pegou a faca, cortou o pescoço dela dizendo que era para tirar sofrimento dela”, declarou Baretta.

joaquina barrosJoaquina Barros foi achada morta dentro de casa. Ela estava com sinais de estrangulamento provocados por um fio de telefone e uma coleira de cachorro, além de um golpe profundo no pescoço.

O coordenador da Delegacia de Homicídios disse ainda que o menor infrator revelou que pensou em matar a filha da vítima, uma criança de nove anos de anos e, anteriormente, teria atentado contra a vida do tio que é casado com a sobrinha da vítima.

Câmeras de segurança auxiliaram a Polícia Civil a refazer os passos do adolescente ao chegar na casa da vítima. Ele conhecia bem a residência da vítima, pois havia morado seis meses com a tia.

“Ele chegou na casa por volta das 23h56, pulou o muro e adentrou a casa e saiu antes de 1h hora da manhã por uma rua que ninguém jamais imaginaria que ele poderia fazer essa rota. Ele premeditou o crime”, acrescenta Baretta.

O menor infrator permanece em um centro de internação provisória em Teresina.

Cidadeverde.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Biocentro

últimas