domingo, 26 de maio de 2019
86 98179 0860
Política

10/05/2019 às 15h04

Redação

Teresina / PI

MDB defende acordo para assumir a CCJ na Alepi no próximo ano
No próximo ano, o MDB terá o direito de assumir a CCJ. Nesta casa a gente sempre zela pelos acordos que são feitos”, disse João Madison
MDB defende acordo para assumir a CCJ na Alepi no próximo ano

Apesar do assédio do Partido dos Trabalhadores (PT) pela presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), o Progressistas (PP) conta com o apoio do MDB, para permanecer à frente do grupo parlamentar.  O deputado João Madison, líder do partido na Casa, afirma que a sigla deve seguir na vice-presidência, com o Henrique Pires.     


“Fizemos um acordo no início da legislatura, e iremos cumprir. Ficamos com a comissão de Administração e o PP com a de Constituição e Justiça. No próximo ano, o MDB terá o direito de assumir a CCJ. Nesta casa a gente sempre zela pelos acordos que são feitos”, disse o líder emedebista. 


Madison confirmou que aguarda, até a próxima quarta-feira (15), um posicionamento do PP quanto ao nome indicado pela sigla para assumir a CCJ. Além disso, ele também comentou o  interesse petista pela comissão. Para ele, os critérios de peso de bancada a serem considerado neste processo são dos parlamentares eleitos.


“O acordo que vale é dos deputados que começaram na atual legislatura, não os que vieram agora [suplentes], o regimento é muito claro. Dentro desse critério, nos, MDB, e o PP, somos as maiores bancadas”, ressalta o parlamentar.


A convocação de quatro deputados para compor a nova equipe de governo de Wellington Dias (PT), além de provocar um redesenho das comissões e blocos parlamentares na Alepi, fez a bancada do PT saltar de cinco para oito deputados, tornando-se a maior da Casa.


 

FONTE: Portal O Dia

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium