domingo, 15 de setembro de 2019
86 98179 0860
Saúde

30/06/2019 às 10h46

Redação

Teresina / PI

Em alerta para dengue, Teresina elimina 680 mil ovos do Aedes
Mais de 680 mil ovos do mosquito Aedes aegypti foram retirados em pontos estratégicos da cidade de Teresina.
 Em alerta para dengue, Teresina elimina 680 mil ovos do Aedes

A Gerência de Zoonoses informou nesse sábado (29), que mais de 680 mil ovos do mosquito Aedes aegypti foram retirados em pontos estratégicos da cidade de Teresina.

A zona Norte é a que apresenta maior índice de infestação, devido aos depósitos de materiais recicláveis. Em seguida, a zona Leste, devido aos canteiros de obra. As zonas Sul e Sudeste foram onde se encontrou menos ovos do mosquito.

A gerente de Zoonoses, Oriana Bezerra Lima, disse que em Teresina as notificações de casos de dengue aumentaram em 40%. Nesse ano, já são 2.400 casos notificados da doença, de janeiro até a semana passada. Oriana esclarece, entretanto, que não há risco de epidemia, mas a cidade está em condição de alerta devido ao período crítico, que compreende o primeiro semestre.

"Nesse período chuvoso, há um aumento de incidência, mas não há risco de epidemia. A partir do segundo semestre, os índices são reduzidos, mas é preciso que a população adote medidas, não só no período chuvoso, mas também nos demais meses do ano", declara a gerente.

Segundo ela, o índice de infestação na capital está 2,2%, considerando o levantamento feito do final de abril ao início de maio. Isso significa que a cada 100 imóveis, dois tinham criadouros. Oriana diz ainda que o levantamento diz respeito a pontos estratégicos, considerados pela prefeitura como borracharias, sucatas, cemitérios e depósito de material reciclável.

Equipes da Zoonoses e demais profissionais da Fundação Municipal de Saúde (FMS) estiveram no bairro Tancredo Neves, zona Sudeste, para conscientizar moradores sobre como evitar criadouros do Aedes aegypti, mosquito que provoca dengue, zika e chikungunya.

Oriana frisa que é preciso mudar os hábitos da população, que teima em jogar lixo na rua e manter água acumulada de forma inapropriada. "Aumentamos em 40% as notificações nesse período chuvoso, que foi mais longo. De janeiro a 31 de maio, 682 mil ovos do mosquito foram retirados. No ano passado inteiro, foram retirados 475 mil ovos", explica a gerente.

Amparo Salmito, do setor de atenção básica da FMS, também participa da Ação Meu Bairro é Limpeza. Ela considera que a ação é mais uma estratégia da Fundação, junto às SDUs, para reforçar a importância da limpeza dos bairros e as ações de atenção básica. "Apesar da campanha de retirada sistemática dos lixos, ainda se encontra muitos ovos do Aedes aegypti. Isso coloca em risco a vida das pessoas", enfatizou.



FONTE: Cidade Verde

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
Mais lidas
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium