Sábado, 20 de julho de 2019
86 98179 0860
Cidades

11/12/2018 às 11h58 - atualizada em 14/12/2018 às 08h15

Redação

Teresina / PI

Projeto que regulamenta Uber é aprovado pela Câmara de Teresina após tumulto
Pelo projeto, os motoristas de aplicativos terão um ano para cumprir a emenda que obriga o emplacamento dos carros na Capital.
Projeto que regulamenta Uber é aprovado pela Câmara de Teresina após tumulto
Vereador Deolindo Moura foi único que votou contra o projeto.

A Câmara Municipal de Teresina aprovou, após tumultuada sessão, nesta terça-feira (11), em primeira votação, o Projeto de Lei que regulamenta o uso de transporte por aplicativo, conhecida como a "Lei do Uber". Os vereadores deram uma pausa de 30 minutos e retornarão ao plenário para a segunda rodada de apreciação da proposta.

Pelo projeto, os motoristas de aplicativos terão um ano para cumprir a emenda que obriga o emplacamento dos carros na Capital. O ano de uso dos veículos será de oito anos, com mais um ano para adequação. Os motoristas também terão que adesivar os carros.

O vereador Deolindo Moura (PT) voltou a criticar a proposta. “É inconstitucional esse projeto como um todo que, inclusive, limita e iniciativa privada. Esse projeto é uma afronta à população. Estão dando voto contrário à população de Teresina”, esbravejou Deolindo.

No caso do adesivo, eles serão removíveis e quanto a limitação do número de carros, ficará similar a quantidade de táxis cadastrados em Teresina.

Os vereadores

Dos 26 vereadores presentes em plenário, 18 votaram a favor, o vereador Joaquim do Arroz (PRP) se absteve e apenas o petista Deolindo Moura votou contrário ao Projeto.

Confusão

A sessão de votação do projeto de regulamentação dos transportes por aplicativo iniciou com tumulto na manhã desta terça-feira (11), na Câmara Municipal de Teresina. Os parlamentares tentaram iniciar a sessão, mas em meio a protestos, os motoristas de aplicativo impediram o início. Segundo testemunhas, uma mulher teria sido agredida por um taxista.

O presidente da Câmara, vereador Jeová Alencar, chegou a suspender a votação e ainda solicitou a presença da Tropa de Choque da Polícia Militar, para conter os manifestantes.


FONTE: Com informações do GP1

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium