Nova empresa promete 80% do investimento para esgoto em Teresina imprimir publicado em: 07 / 07 / 2017

O governo do Estado do Piauí formalizou, na manhã desta sexta-feira (7), a assinatura de contrato com a vencedora da licitação de subconcessão dos serviços da Agespisa. A empresa do grupo Aegea, que vai se chamar Águas de Teresina, assume o abastecimento de água e esgotamento sanitário na capital. Segundo o Instituto Trata Brasil, apenas 17% das casas de Teresina integram a rede de esgoto.

esgoto

O diretor presidente da Águas Teresina, Ítalo Joffily, afirmou que cerca de 80% do investimento total será com a rede de esgoto e afirmou que a tarifa cobrada a população será mantida. “Rede de esgoto será o maior investimentos de todos. Nós temos na água uma cobertura já significativa se comparar com outros indicadores no Brasil, mas o esgoto é que vai demandar mais de 80% do investimento total”, disse acrescentando que não haverá influência na tarifa, que está sob definição da agência reguladora.

Segundo o gestor, de acordo com o planejamento que foi feito ao longo da elaboração contrato, levando em conta a demanda da Agespisa, do Estado e da própria Prefeitura, serão necessários R$650 milhões em investimentos ao longo dos primeiros cinco anos.

“Evidente que isso é um projeto de médio e longo prazo, mas nós não pudemos perder de vista o que acontece aqui na cidade. Será um investimento de R$1,7 bilhão em 30 anos. O B-R-O Bró, por exemplo, se inicia daqui a 60 dias e a gente tem a noção exata do impacto que isso causa nas pessoas. Fomos demandamos para criar um plano emergencial e estaremos atuando nele nesses primeiros 30 a 45 dias com aproximadamente 150 mil pessoas”, falou.

Ítalo Joffily esclareceu ainda que as três categorias de profissionais que servem na Agespisa serão devidamente adequados à necessidade. “Temos os concursados, os comissionados e os terceirizados que estão sendo convidados a trabalhar conosco. Existe uma regra, que aí eu acho que o estado pode falar melhor, sobre o aproveitamento dos outros profissionais que não quiserem ou não puderem vir trabalhar conosco, mas ao que parece, serão absorvidos pelo estado”, finalizou.

Portaldaclube


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Esporte

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas