Para atores de Sense8, orgia e nu frontal são mais que sexo imprimir publicado em: 05 / 05 / 2017

Quando foi lançada em junho de 2015, a série Sense8 chamou a atenção por exibir cenas de sexo raramente vistas na teledramaturgia: no sexto episódio, por exemplo, há uma grande orgia envolvendo boa parte do elenco; em outro momento, o ladrão alemão Wolfgang (Max Riemelt) sai de uma piscina completamente nu, com direito a close em seu pênis. No ano passado, em plena época de Natal, um episódio especial juntou os personagens em uma nova orgia, dentro de um banheiro.

sense8

Atores de Sense8 durante cena de orgia exibida na primeira temporada: tabu desnecessário

No entanto, para os atores da produção da Netflix, que estreia a segunda temporada nesta sexta (5), Sense8 vai muito além da nudez e das cenas de sexo.

“As pessoas não assistem à série só por causa disso. Elas se identificam com a série por outros motivos. A gente sente muito isso, principalmente no Brasil. A diversidade do show fala mais alto”, contou a indiana Tina Desai, intérprete da química Kala, durante passagem pelo Brasil na CCXP (Comic-Con Experience).

A sexualidade é uma parte importante da série, criada pelas irmãs transexuais Lana e Lilly Wachowski (também responsáveis pela trilogia Matrix): os oito personagens centrais, chamados de “sensates”, são interligados mentalmente e podem vivenciar o que o resto do grupo está sentindo, chegando a invadir o pensamento uns dos outros _apesar de estarem espalhados pelo mundo todo.

Por causa disso, momentos intensos a dois se transformam em experiências coletivas envolvendo todos os personagens.

Brian J. Smith, que vive o policial americano Will, não gosta que as pessoas prestem tanta atenção ao sexo e que deixem de perceber os outros aspectos da série.

“As irmãs Wachowski têm uma visão bonita sobre sexo, que é um tipo de ligação humana. E Sense8 é uma série sobre ligações humanas. É triste que o sexo fale mais alto simplesmente por estar lá, não deveria ser um tabu”, defende.

Já o espanhol Miguel Ángel Silvestre, que vive o ator mexicano Lito, acredita que mostrar o sexo é tão importante como mostrar as alegrias e tristezas dos personagens. “Acho que é uma parte muito importante da empatia humana. É algo que faz parte de todos nós, assim como o amor, as angústias e a saudade”, justifica.

Para o público brasileiro, a segunda temporada terá um gostinho especial: uma sequência foi gravada na Parada Gay de São Paulo, no ano passado. E, bem ao estilo Sense8, todos os atores se beijaram muito em cima do trio elétrico na avenida Paulista _com direito a carinhos homossexuais e até com três pessoas ao mesmo tempo.

“É, a gente beijou muito mesmo. O retorno do público ali foi tão mágico que a gente saiu distribuindo beijo para todos os lados (risos)”, lembra Silvestre.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas