Pratto cobra atitude no São Paulo: “Hora de pôr os culhões na mesa” imprimir publicado em: 14 / 07 / 2017

prattoO atacante Lucas Pratto, do São Paulo, deixou o Morumbi descontente pelo empate por 2 a 2 com o lanterna Atlético-GO, na última quinta-feira. Para o capitão tricolor, que marcou o primeiro gol da equipe na partida, o time tem que mudar de postura e assumir seus próprios erros se quiser reagir no Campeonato Brasileiro, do qual é o 17º colocado, com 12 pontos, figurando na zona de rebaixamento.

“Não tem mais explicação, não tem mais desculpa. Troca o treinador, ele fala o que temos de fazer em campo, a gente faz um esforço grande para marcar os gols e, dois minutos depois, toma os gols. Como falei na semana passada, não é questão de quem está no comando, não é questão da bagunça de quem vai e quem vem, não é questão do calendário. Sempre encontramos desculpas nos outros e não em nós. Chegou a hora de colocar os culhões na mesa e começar a nos responsabilizarmos”, esbravejou, em entrevista à Rádio Transamérica, na saída do gramado.

Já na zona mista do Morumbi, o argentino queixou-se novamente dos dois gols sofridos logo após marcar, mas tentou mostrar otimismo em relação ao confronto deste domingo, às 16 horas (de Brasília), contra a Chapecoense, na Arena Condá.

“Confio na capacidade dos jogadores, temos um bom time. Mas temos de tentar não cometer os erros que estamos cometendo. Hoje saio muito decepcionado. Algumas coisas atrapalham: a insegurança, a desconfiança. Temos de saber que o São Paulo é muito grande e não podemos tomar o empate de maneira tão fácil. Agora, no domingo, vamos enfrentar um rival que está em baixa também e vamos em busca da vitória”, analisou.

Vice-artilheiro da equipe na temporada, com 11 gols, Lucas Pratto planeja ao menos uma reação para o São Paulo na reta final do primeiro turno. Para isso, ele conta com o trabalho do técnico Dorival Júnior, que fez sua estreia à frente do comando do Tricolor nesta quinta-feira.

“Temos um objetivo a curto prazo que é sair das últimas colocações. Quero tentar chegar até o 12º lugar no final do primeiro turno. Temos um treinador novo, todo mundo viu o trabalho que ele começou a fazer. Obviamente, não será fácil. Temos que entender rapidamente o que o treinador quer para sair dessa situação”, encerrou.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Biocentro

últimas