Preso por fraude em concurco teria vendido prova por R$ 2 mil imprimir publicado em: 07 / 07 / 2017

delegadoO delegado Kleidson Ferreira, em coletiva de imprensa na Delegacia de Geral, deu detalhes sobre a investigação que prendeu Tadeu Bruno do Nascimento, de 28 anos, acusado de fraudar o concurso da Polícia Militar realizando no mês de maio. O rapaz teria recebido as 14 questões de português pelo aplicativo de mensagens WhatsApp e vendido por R$ 2000 a dois candidatos. Ele próprio prestou o concurso.

A investigação começou a partir das primeiras prisões realizadas contra a fraude no certame. Na ocasião, uma pessoa foi presa por ter compartilhado a prova em grupos de WhatsApp. Segundo o delegado Kleidson, essa pessoa declinou de quem havia recebido as questões, e essa deu o nome de outra, e assim por diante, até chegar ao homem preso hoje. “Fizemos uma linha reversiva ao compartilhamento”, explicou o delegado.

A GRECO afirma ter indícios fortes de que Tadeu Bruno recebeu as questões quatro dias antes da prova, na quinta-feira (18). De posse do material, negociou a venda com duas pessoas, entre elas um colega de trabalho. Cada candidato teria pago R$ 2000 pelas perguntas, mais 10x o salário de Policial Militar caso fosse aprovado, a ser pago quando já estivesse trabalhando.

De acordo com o delegado Kleidson, o suspeito nega as acusações, afirmando que recebeu a prova, mas não a comercializou. Ele afirma ainda que recebeu a prova apenas no sábado.

portalodia.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Esporte

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas