Secretaria monitora suspeitos inscritos no concurso da PM imprimir publicado em: 17 / 05 / 2017

fabio abreuA Secretaria de Segurança do Estado do Piauí vai mobilizar um grande contingente de policiais civis e militares para atuarem na operação destinada a coibir a ocorrência de fraudes no concurso público da Polícia Militar do Piauí, que está ofertando 400 vagas na graduação inicial de soldado.

Pessoas suspeitas de participação em fraudes a outros concursos públicos e que estão inscritas neste certame da PM-PI já foram identificadas pelo serviço de inteligência da Secretaria de Segurança, e serão monitoradas no dia de aplicação da prova objetiva, agendada para o próximo domingo, 21 de maio.

A informação foi repassada pelo secretário de Segurança, Fábio Abreu, durante coletiva de imprensa realizada pouco antes do meio-dia desta quarta-feira, na sede do órgão. De acordo com o gestor, os órgãos de segurança de diversos estados do país estão atuando conjuntamente, trocando informações e cruzando dados de candidatos que já foram flagrados realizando algum tipo de fraude.

Fábio Abreu mencionou algumas medidas que estão sendo tomadas pela secretaria para garantir a lisura do concurso e a isonomia entre os candidatos. Além da instalação de equipamentos de segurança capazes de rastrear a comunicação entre aparelhos eletrônicos, a SSP também escalou policiais militares e civis para atuarem disfarçados de candidatos durante o certame, cuja organização está sendo feita pelo Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe) da Universidade Estadual do Piauí (Uespi).

“Da parte da Polícia, do nosso serviço de inteligência, nós temos algumas ações que já vêm sendo desenvolvidas. Mas também vamos ter ações específicas para o dia da prova, principalmente nos locais de realização das provas. Nós vamos instalar em alguns pontos desses locais equipamentos que são capazes de identificar comunicação entre celulares. Na parte ostensiva, também teremos homens disfarçados nesse evento. Então, toda a estrutura possível está sendo disponibilizada para que sejam aprovados aqueles que realmente estudaram e que merecem passar no concurso. Essas pessoas podem ter certeza que todo o esforço da segurança pública, tanto da Polícia Militar quanto da Polícia Civil, está sendo feito para que a gente tenha um concurso com a maior lisura possível”, afirmou Fábio Abreu.

Cerca de 32 mil pessoas inscreveram-se no certame, que contará com mais de 90 locais de aplicação da prova objetiva (primeira etapa), todos localizados em Teresina.

coronelSegundo o coronel Carlos Augusto, a aplicação das provas foi concentrada na capital justamente para facilitar o trabalho das Polícias Civil e Militar no combate a possíveis fraudes que estejam sendo planejadas por quadrilhas especializadas em burlar concursos públicos.

“Nós vamos ter policiais em todos os locais de prova, fardados ou disfarçados. Teremos 250 PMs escalados para essa operação de domingo, fora o apoio do nosso serviço de inteligência e da Polícia Civil”, afirmou Carlos Augusto.

A Polícia Civil já identificou candidatos inscritos no concurso e que seriam potenciais fraudadores, por já terem sido flagrados tentando fraudar certames anteriores, tanto no Piauí quanto em outros estados do país.

“Vamos estar monitorando todos eles no dia do concurso, acompanhando passo a passo, e esperamos ter um concurso realizado com muito sucesso. A Polícia Militar e a Polícia Civil estarão de prontidão, trabalhando de forma integrada até depois da aplicação da prova”, enfatizou o comandante da PM-PI.

Durante a coletiva de imprensa realizada na sede da SSP, o coronel elogiou o trabalho realizado pelo Nucepe (Uespi), e ressaltou que 80% dos aprovados nos últimos três certames realizados pela PM-PI possuíam nível superior completo ou incompleto, embora os editais cobrassem apenas formação de nível médio.

nougaO reitor da Uespi, Nouga Cardoso, ressaltou que o Nucepe também possui um banco de dados com informações sobre pessoas suspeitas de fraudar certames no país, o que deve facilitar o traba

“O Nucepe tem essa expertise de fazer o cruzamento de dados dos concursos realizados no estado do Piauí com concursos realizados em outras unidades da federação, de forma que o Nucepe, a Polícia Civil e a Polícia Militar têm conhecimento de todo e qualquer candidato sobre o qual recaia alguma suspeita, por menor que ela seja”, salienta o reitor.

O delegado-geral Riedel Batista afirma que a Polícia Civil do Piauí possui um “cadastro” com mais de 80 pessoas que, nos últimos anos, foram alvos de inquéritos policiais ou de ações na Justiça pela prática do crime de fraude a concurso público. “Essas pessoas estão no nosso radar. Algumas delas, inclusive, estão proibidas de participar de concursos públicos”, afirmou Riedel.

Investigação social

O secretário Fábio Abreu destacou, ainda, que a investigação social dos candidatos classificados – que corresponde à quinta etapa do concurso – é uma ferramenta que será utilizada à exaustão para evitar que criminosos ingressem nos quadros da Polícia Militar. “Vamos fazer uma varredura na vida dos que ficarem aptos nas fases iniciais do concurso”, avisou o secretário de Segurança Pública.

portalodia.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Esporte

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas