Teresina tem 600 pessoas em situação de rua imprimir publicado em: 13 / 07 / 2017

moradoresEm situação de rua, sob o efeito de drogas, sentada em meio a fezes e lixo, aparentemente desnutrida, suja, dentes estragados, com queimaduras pelo corpo devido ao uso do crack. Este é o cenário em que se encontra a jovem S.D, de apenas 14 anos de idade, no estádio Albertão, zona Sul de Teresina. Como ela, vive grande parte dos 600 moradores de rua de Teresina, segundo levantamento da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil – Secção Piauí (OAB/PI).

Para debater sobre a importância da criação de políticas públicas para este segmento da sociedade, a Comissão promoveu na última terça-feira uma Roda de Diálogos sobre Pessoas em Situação de Rua. Representantes de entidade e órgão públicos estiveram reunidos no auditório da Escola Superior de Advocacia do Piauí (ESA-Piauí) para conversarem sobre as demandas de urgência que visem à transformação da vida de pessoas em situação de rua.

Integraram a Roda de Diálogos a Defensoria Pública, Ministério Público, UFPI, Centro Pop, CREA Sul, Fazenda da Paz, Pastoral do Povo de Rua, Rota do Anjos e Sociedade Civil.

Dentre os encaminhamentos, ficou decidido que será criado um Comitê com os grupos e instituições envolvidas; apresentação de um Projeto de Lei, que vise uma política Municipal de apoio e pela elaboração de um calendário de visita às instituições e órgãos públicos que atuam diretamente com as pessoas em situação de rua. A disponibilização de profissionais da área de saúde para atender essas pessoas com atenção na parte física e menta ficará sob a responsabilidade da Fundação Municipal de Saúde e a Secretaria de Assistência Social dará o apoio necessário em alimentação e documentação.

Enfrentamento às drogas

Na capital, as pessoas em situação de rua podem ser encontradas em vários pontos da cidade: nos semáforos, nas portas dos bancos pedindo esmolas, nas praças, nas margens dos rios e em lugares insalubres. Um agravante dessa situação é que parte dessas é usuária de drogas, a exemplo da jovem S.D, citada anteriormente.  De acordo com padre João Paulo Carvalho, da Pastoral do Povo da Rua, mais de 30% das pessoas amparadas pela instituição são dependentes de algum tipo de droga, seja lícita ou ilícita. Somente nos finais de semana, a Pastoral atende 60 pessoas em situação de rua.

O programa “Livre para Viver”, lançado em 2016 pela Prefeitura de Teresina, trata sobre o enfrentamento ao Crack e outras Drogas e integra o programa do Governo Federal – Crack, é Possível Vencer. A fim de captar recursos para o programa, o secretário municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (SEMCASPI), Samuel Silveira, e o coordenador-geral da Fazenda da Paz, Célio Barbosa, estiveram  em Brasília. Eles participaram de uma audiência com a Secretaria Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas (SENAD), que é vinculada ao Ministério da Justiça.

O “Livre Para Viver” enfrenta as drogas sobretudo na região central e nas áreas da zona Sul, regiões com maior incidência de consumo, segundo levantamento da Secretaria de Estado da Segurança Pública. Bairros e comunidades como Vila da Paz, Redenção, Parque Rodoviário, Vila Costa Rica e Vila Jerusalém fazem parte do projeto. “Provavelmente, os recursos para o programa venham pelo mês de agosto. Todos esses valores serão empregados na continuidade do ‘Livre para Viver’, já em uma fase que engloba, também, o abrigamento de pessoas em situação de rua envolvidos com o problema das drogas”, declara o secretário Samuel Silveira.

Segundo ele, um dos temas discutidos durante sua ida a Brasília foi a questão da necessidade do acolhimento do dependente químico para a desintoxicação e a internação. “Abordamos a necessidade de um terceiro momento, que é a criação de espaços para o fortalecimento de vínculos das famílias dos dependentes que estão fazendo o tratamento. Queremos implantar essas ações em Teresina”, conclui o secretário Samuel Silveira.

Centro Pop

Atualmente, o Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro POP), vinculado à Prefeitura de Teresina, oferece serviços gratuitos às pessoas em situação de rua. O local possui uma equipe composta por gerente, coordenadoria, assistentes sociais, psicólogos, educadores e agentes de proteção social para atender de forma humanizada e universalizada. O Centro realiza a abordagem nas ruas de Teresina e agiliza encaminhamentos necessários, como por exemplo, usuários de drogas para tratamento na Fazenda da Paz. Além de tentar estabelecer contato com as famílias dessas pessoas que se encontram vulneráveis. A instituição fica localizada na rua Álvaro Mendes, 1802, Centro de Teresina.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Esporte

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas